Arrow – 7×04 | O futuro de Arrow e Oliver Queen quebrado

A 7° temporada de Arrow estreou com a corda toda e até agora não tivemos um episódio ruim, tivemos 2 episódios bons, 1 episódio mediano e tivemos esse 4° episódio que foi incrível!

Alerta de spoilers abaixo!!

O episódio começa com Felicity buscando informações com a bandida que foi capturada, em uma conversa com Rene, vemos que Felicity está disposta a ultrapassar limites para conseguir o que precisa: Descobrir onde esta Ricardo Diaz.

Oliver está na solitária e é acompanhado de um médico, Oliver passa por uma dura sessão de testes, tanto com injeções, quanto por uma maquina que acaba mexendo com o seu cérebro, ele está praticamente quebrado, nos é mostrado flashbacks de Oliver com o seu pai no barco, coisa que não acontecia desde a 5° temporada e temos uma incrível cena onde Oliver e William estão naquele barco, não vou entregar muito pra vocês, mas a cena é espetacular pra quem é fã da série e a acompanha desde o inicio.

Rene e Dinah atendem alguns moradores dos Glades, alguns homens começam um incêndio no prédio, Zoe, a filha de Rene quase morre, mas é salva pelo novo Arqueiro Verde, que depois desse episódio, eu digo com tranquilidade que é Roy Harper apesar dele não ter se revelado ainda.

Os ‘Flash Fowards’ desse episódio foram excelentes, Roy e William estão em Star City e o que podemos perceber logo no inicio é que o futuro é bem parecido com aquele que vimos na 1° temporada de Legends of Tomorrow (obrigado, Barry), digamos que é o inicio daquele futuro.

Temos a confirmação de uma ‘Smoak Tech’, a empresa da Felicity e vemos que Dinah ainda está viva, apesar dos cabelos brancos, Zoe, a filha de Rene também é uma vigilante, aparentemente Rene está vivo, mas não está em Star City e temos a confirmação de que Felicity Smoak está morta (para alegria de uns e tristeza de outros).

Infelizmente, nem tudo nessa temporada está perfeito, o arco de Diggle nessa temporada está ridículo, o personagem mal aparece e quando aparece não acrescenta em muito para a trama.

Alô, @CW, tá na hora de resolver isso aí.

De todo o resto, a temporada está ótima e o episódio 7×04 é incrível.

Nota: 9,5/10.

 

STAR WARS | Obi-Wan Kenobi: o mais humano de todos os Jedi

Ele foi um dos poucos sobreviventes da caçada proferida por Darth Sidious aos Jedi após a formação do Império, foi o primeiro Jedi após milhares de anos a derrotar um Sith, e também foi o responsável por guardar e proteger o segredo sobre os irmãos Skywalker.

Conheça um pouco mais a fundo sobre Obi-Wan Kenobi!

Texto adaptado da Ordem Sith (Curta a página aqui).

“Eu falhei com você Anakin… eu falhei com você.”

Ele não possui aquela aura de poder arrogante de Mace Windu, e nem é um alien esverdeado de 900 anos, ou tampouco é o filho da Força. Não foi o Jedi mais forte, mas foi o primeiro a derrotar um Sith em milhares de anos, e o único a derrotar dois “vilões”: Maul e Grievous.

Obi-Wan era um homem como outro qualquer: sensitivo a força, sim, mas acima de tudo um homem de fé, que mesmo diante do colapso de toda a Ordem Jedi ainda insiste:

“Nosso compromisso é com a República, com a democracia, Anakin.”

Contudo, aquilo que Kenobi mais carregou vivo dentro de si foi a culpa.
Culpa por não ter chegado a tempo de salvar seu mestre e não ter acreditado nele, quando este acreditou em Anakin; tal que Obi-Wan diria a Yoda no final do Episódio I que treinaria o menino — ainda que em discordância com o Conselho.

Obi-Wan viria a abrir mão de tudo para tentar ser o melhor Jedi que conseguisse. Deixaria seu grande amor, a Duquesa Satine de Mandalore para cumprir o Código, mas isso novamente acarretaria mais culpa ao mestre; pois, ao vê-la morrer em seus braços, diria:

 

“Se eu soubesse antes que você também me amava, eu teria abandonado a Ordem.”

 

“Se eu soubesse antes que você também me amava, eu teria abandonado a Ordem.”

O ápice de culpa e dor de Obi-Wan se deu diante de Anakin.

“Eu falhei com você.”

Nessa frase o Mestre desabafa toda sua autocrítica. Ele não odeia Anakin, ele odeia a si mesmo; ele sente que falhou com Qui-gon, que falhou com Anakin, que falhou com a Ordem… que falhou consigo mesmo.

Por muito tempo nos perguntamos, por que Kenobi não aplicou um golpe de misericórdia em Anakin nas areias de Mustafar? Não poderia ser apenas por uma questão de continuidade da história, e não era. A resposta estaria anos na frente, especificamente no momento em que ele diz que Darth Vader matou Anakin Skywalker. Se nos lembrarmos desta cena, quando isso é explicado a Luke, ele se põe a pensar logo em seguida; claro, porque isso traz à tona sua culpa: o Padawan que não chegou tempo de salvar seu mestre em Naboo, o mesmo que não salvou a amada em Mandalore, o mestre que não salvou o Padawan de ser morto pelo Lado Negro.

Seu exílio em Tatooine não foi redentor. Ele não estava em um santuário da Força como Dagobah. Ele estava apenas sozinho. Não podia nem mesmo ajudar aqueles que estavam a sua volta, aquilo que seria a essência de um Jedi; ele não podia botar em risco Luke.

Suas meditações não nos deixam mentir:

“É tão estranho estar aqui, neste lugar e nestas circunstâncias. Anos atrás tiramos uma criança de Tatooine, achando que ela era a maior esperança da galáxia. Agora, eu trouxe outra de volta, e com o mesmo objetivo em mente. Espero que a coisa se saia melhor dessa vez. Porque o caminho até esse momento foi cheio de dor. Para toda a galáxia, para meus amigos… e para mim.
[…]
Os holovídeos que vi dele chacinando as crianças Jedi no Templo ainda assombram meus sonhos… e estraçalham meu coração em pedaços.
[…]
Mas não posso me dar ao luxo de reagir mais às coisas como Obi-Wan Kenobi. Não poderei sequer ativar meu sabre de luz sem que esse gesto grite ‘Cavaleiro Jedi’ a todos ao redor.
[…]
Sim, imagino que as coisas serão mais lentas. Estarei longe de qualquer lugar, e sozinho, com nada a mão a não ser meus arrependimentos para me fazerem companhia.”

(Star Wars Legends: Kenobi, por John Jackson Miller)

Então o que faz de Obi-Wan Kenobi tão especial?

A esperança. A esperança daquele que ousa treinar o filho de Darth Vader. A esperança do antigo general Kenobi, agora reduzido apenas ao velho Ben, em sonhar novamente com uma galáxia em paz.

“Obi-Wan Kenobi, o grande cavaleiro Jedi, perdeu tudo… menos a esperança”.

Obi-Wan podia se chamar Maria, podia se chamar José. Ele poderia ser qualquer um de nós que, diante de todo o sofrimento do nosso dia a dia, que diante de cada notícia fatídica dos jornais, que diante de toda a desesperança… se ergue e: hello, there!

Talvez, a melhor definição de Obi-Wan não esteja em livros ou filmes, mas numa canção brasileira:

♪ De uma gente que ri
Quando deve chorar
E não vive
Apenas aguenta ♪

RUMOR – Nova lista de filmes da DC vaza na Internet

O reddit tem se tornado uma grande fonte de informações anônimas que por diversas vezes se mostraram verdadeiras. Recentemente um usuário da DCU Leaks publicou o que pode ser um novo cronograma de filmes do universo DC/Warner, mostrando que diversos filmes previstos saíram do planejamento original. Confira:

Aquaman – 21 de Dezembro de 2018
Shazam – 5 de Abril de 2019
Asa Noturna – 14 de Junho de 2019
Esquadrão Suicida 2 – 16 de Agosto de 2019
Mulher Maravilha 2 – 1 de Novembro de 2019
Batgirl- 14 de Fevereiro de 2020
Flashpoint- 5 de Junho de 2020
Exterminador – 4 de Setembro de 2020
The Batman- 4 de Dezembro de 2020
Sereias de Gotham – 14 de Fevereiro de 2021
Superman – 4 de Junho de 2021
Adão Negro – 6 de Agosto de 2021
Liga da Justiça 2- 12 de Novembro de 2021
Green Lantern Corps- 25 de Março de 2022
Untitled DC Film- 17 de Junho de 2022
Untitled DC Film- 9 de Setembro de 2022
Untitled DC Film- 9 de Dezembro de 2022
Untitled DC Film- 7 de Abril de 2023
Untitled DC Film- 9 de Junho de 2023
Untitled DC Film- 8 de Setembro de 2023
Liga da Justiça 3- 17 de Novembro de 2023

Vale lembrar que até o pronunciamento da Warner tudo não passa de rumor.

Fonte: Reddit

VINGADORES 4 – Diretores já sabem quem matar no próximo filme

De certa forma, Vingadores 4 marcará o encerramento da fase 3 do universo cinematográfico Marvel e ao que tudo indica os irmãos Russo irão levar junto com o final dessa fase alguns heróis para o túmulo.
Vingadores: Guerra Infinita, irá marcar o início dessa ‘morte’, que será precedida por Avengers 4, que será uma espécie de final e renascimento do Universo Marvel.

“Nós não estamos participando de nenhuma ideia sobre o que vai acontecer após esses filmes”, disse Russo a Vanity Fair. “Então, só sabemos que nos foi dado permissão para matar. Eu acho que nem a Marvel fazia ideia de onde ir após Vingadores 3 e 4. Não é um fim para todos os personagens; É o fim para alguns, alguns personagens continuarão.. Então isso é bem mais complicado, não vai ser um final limpo.”

 

Uma jornada cinematográfica que durou dez anos para ser construída e abrangeu todo o Universo Cinematográfico Marvel, Vingadores: Guerra Infinita leva para telona o confronto mais importante e mortal de todos os tempos. Os Vingadores e seus aliados devem estar dispostos a sacrificar tudo em uma tentativa de derrotar o poderoso Thanos, antes que sua invasão de devastação e destruição acabe com todo o Universo.

Vingadores: Guerra Infinita estreia nos cinemas no dia 04 de maio de 2018.

Via: ComicBook

Liga da Justiça – Filme tem a menor arrecadação em abertura de produções do Universo DC

Apesar de ter tido a maior abertura de todos os tempos no Brasil, o filme de uma das equipes de super-heróis mais populares da história amargou um final de semana abaixo do esperado em arrecadação para filmes do universo DC. Segundo dados do Box Office Mojo o filme terminou o final de semana com a bilheteria inicial em torno de U$ 96,000,000 milhões.

A título de comparação, o primeiro filme do universo DC, O Homem de Aço, obteve U$ 116,619,362, no seu primeiro final de semana; Batman V Superman U$ 166,007,347; Esquadrão Suicida U$133,682,248 e Mulher Maravilha U$ 103,251,471. Entretanto, vale ressaltar que o filme ainda não estreou em diversos países e ainda há o fator de feriado de ação de graças nos EUA, o que em tese, apesar da baixa bilheteria no mercado doméstico, pode fazer a diferença no faturamento total do filme.

“Impulsionado pela restauração de sua fé na humanidade e inspirado pelo ato altruísta do Superman (Henry Cavill), Bruce Wayne (Ben Affleck) convoca sua nova aliada Diana Prince (Gal Gadot) para o combate contra um inimigo ainda maior, recém-despertado. Juntos, Batman e Mulher-Maravilha buscam e recrutam com agilidade um time de meta-humanos, mas mesmo com a formação da liga de heróis sem precedentes – Batman, Mulher-Maraviha, Aquaman (Jason Momoa), Cyborg (Ray Fisher) e The Flash (Ezra Miller) -, poderá ser tarde demais para salvar o planeta de um catastrófico ataque.”

Leia nossa crítica da Liga da Justiça:

Liga da Justiça que tardou, mas não falhou.

BRASIL GAME SHOW | Cd Projekt Red confirmada no evento

Uma das principais atrações da última Brasil Game Show (BGS) confirmou sua presença na décima edição da maior feira de games da América Latina! Isso mesmo: o estúdio polonês que, na última edição, encantou o público com mais de 300 m² com diversas atrações estará esse ano marcando presença com diversas novidades.

No estande, a CD Projekt Red terá um palco exclusivo com atividades e atrações interativas para os visitantes. Também estarão na BGS desenvolvedores internacionais envolvidos na produção de GWENT: The Witcher Card Game.

Comentava Pawel Burza, especialista de comunidade da CD Projekt Red:

 

“Será um grande prazer fazer parte da principal feira de games da América Latina e estar presente pela primeira vez em território brasileiro. Estou muito empolgado para conhecer nossos fãs, jogadores e passarmos nossas tardes jogando partidas de GWENT.”

 

Marcelo Tavares, criador e CEO da BGS, disse ainda:


“Os fãs de card games que forem à Brasil Game Show irão se divertir muito com GWENT. Temos certeza que será mais uma grande atração da décima edição da BGS e que levará milhares de jogadores para o estande da CD Projekt Red.”

 

Em GWENT, o jogador participa de duelos de ritmo acelerado que misturam blefes, tomadas rápidas de decisão, uso correto de cartas, heróis, feitiços e habilidades especiais. O jogo, cujo beta público já está disponível para PlayStation 4, Xbox One e PC, exige muita estratégia para decidir a melhor formação de batalha para vencer as disputas em rodadas de melhor de três e surpreender os adversários.

A lista completa das principais atrações da BGS você encontra no site do evento (CLIQUE AQUI).

Ainda não comprou o seu ingresso? Então corra para comprar o seu e CLIQUE AQUI!

Fonte: Brasil Game Show

GORILLAZ | Banda anuncia retorno ao vivo com festival “Demon Dayz”

Mais uma ótima notícia para os fãs do Gorillaz: a banda anunciou que estará fazendo seu retorno no Reino Unido durante seu próprio festival que ocorrerá em DreamLand, em Margate. A banda feita em animação já iniciou a divulgação do Demon Dayz nos metrôs da cidade. O evento irá acontecer no dia 06 de junho no parque temático Kent.

Atualmente o ex-vocalista do Blur Damon Albarn e o artista Jamie Hewlett vem trabalhando no novo álbum da banda, ainda sem previsão de lançamento.

Segundo Jamie Hewllet o álbum é “foda e especial”, porém não há pressa para ser lançado.

Em janeiro, Gorillaz juntou-se ao Vencedor do prêmio Mercury de 2015, Benjamin Clementine, para produzir uma canção de protesto contra Donald Trump intitulada “Hallelujah Money”.

https://www.youtube.com/watch?v=eMZSc3-X5i8

Fonte: The Lad Bible

DC COMICS | General Zod fará parte do Esquadrão Suicida

A DC divulgou recentemente algumas sinopses das suas HQs para o mês de maio. Além de ser o mês da conclusão da minissérie “The Button”, onde Batman e Flash investigam o aparecimento do botão do comediante na Batcaverna, a DC revelou uma grande surpresa para os fãs da equipe mais perigosa dos quadrinhos.

General Zod passará a integrar a equipe comandada por Amanda Waller. É isso mesmo: o esquadrão estará mais poderoso que nunca. Confira a sinopse:

Earthings on fire parte dois. Obrigada a tomar medidas extremas por causa da organização mundial conhecida apenas como The People, Amanda Waller faz o impensável: transforma o General Zod um membro da Força-tarefa X! Sua primeira missão? Destruir Annihilation Brigade, um tipo de ‘Esquadrão Suicida’ da organização!”

Ainda não se sabe os detalhes e como Amanda conseguiu convencer o Kryptoniano a se juntar a equipe. Vale ressaltar que atualmente Zod encontra-se preso em Belle Reve, em um equipamento que o mantém em um estado de hibernação.

Via: Torre de Vigilância

Alan Moore e a filosofia em forma de quadrinhos Promethea

“Há 1000 histórias em quadrinhos nas prateleiras que não fazem uma leitura filosófica e uma que faz. Não há espaço para a que faz?”

De Alan Moore e J. H. Williams III a HQ Promethea é realmente o que o seu autor fala, uma filosofia em quadrinhos.
Sem citar é claro, inicialmente, as suas referências incríveis ao misticismo. Promethea mostra que uma história em quadrinhos não precisa ser algo sobre ação e ficção apenas (Sem querer generalizar, mas já generalizando), sobre pessoas dando tiros para todos os lados, ou jogando batarangues para todos os lados, mas também pode se tornar um trabalho literário a ser levado a sério. Com uma arte muito bonita de J. H. Williams III, que já fez trabalhos como “Batwoman”, e o roteiro impecável como só nosso querido Alan Moore pode fazer, Promethea se torna um trabalho que deve ser lido caso você goste de algo que faça pensar, ou se você for um fã de misticismo, e até mesmo se você for um fã de quadrinhos.
Não querendo puxar o saco do Alan Moore sempre, ele já errou, como em WildCats, e veja bem, acho que o projeto WildCats melhorou muito depois que o Alan Moore tomou as rédeas.

Sem mais delongas, vamos para a história.

A HQ tem como protagonista a estudante Sophie Bangs. Ela vive no Longínquo ano de 1999, nesta realidade, Nova York tem uma aparência meio futurista e em partes… Bem… 1999?
Há discos voadores  de policia passando pela cidade, e tomando conta de ameaças além de cinco cientistas que tomam conta de criminosos com raios e coisas do tipo. E estamos com a Sophie e Stacy, que estão batendo um papo no táxi. Enquanto Stacy vai para um trabalho muito cool, a Sophie, que é a mais nerd, está a caminho da entrevista com a mulher de um autor. O autor em questão escrevia revistas pulp sobre uma personagem muito amorzinho chamada de Promethea. Sophie que também não deixa de ser uma personagem muito amorzinho, descobre que Promethea foi criada por diferentes pessoas, e cada uma delas deu um desenvolvimentotumblr_inline_n2k4zqDN4M1s86fn9o diferente para a personagem. Como uma boa nerd, ela decide que vai entrevistar a esposa de um dos autores que criou a mesma, para um trabalho de faculdade.
Sem entregar muito do plot, a Sophie se descobre como a avatar da entidade Promethea, que é dada como “Entidade da criatividade”, e ela se vê em uma grande conspiração entre o mundo real e o “mundo das idéias”.
Para mim, seu amigo Ricardo, Promethea é uma das melhores obras do Alan Moore, logo ao lado de “V de vingança”. Eu possuo um top 10 sobre então vou mandar para não complicar a mente de vocês.

10: Superman: Para o Homem que tem tudo
9: Capitão Britânia
8: A saga do monstro do pântano
7: O que aconteceu com o Homem do amanhã?
6: 1963
5: Do inferno
4: A Liga extraordinária
3: Promethea
2: V de vingança
1: Watchmen

(Lembrando que isso se trata de minha opinião, se não concorda… Bom… Não concorde)

De volta a obra de arte.

Eu não estou preparado em termos de conhecimento para dar minha opinião sobre a obra, sinceramente eu acho que apenas o Alan Moore consegue. Eu acho que o que eu consegui apenas foi… 39%? E esse numero não tem base nenhuma. As referências dele são muito mas muito profundas. Porém meu caro leitor, isso não signifia que antes que você comece a ler qualquer coisa da obra você tem que ler MUITO mas MUITO sobre misticismo e tudo que puder ler sobre mitologia e poemas e até mesmo algumas coisas de quadrinhos, mas é claro, se for possível, dá uma lida aí.
Referências cristãs, folclóricas, cabalísticas, filosóficas… En3331tre outras. Tudo na revista faz referência a algo, eu achava que podia saber algo de referências mas eu não sei nada comparado ao (Alan Moore) Steve Rogers.
Acho que ela consegue ser mais difícil de entender em referências do que Liga extraordinária.

Mas, não tema caro leitor. Novamente, você não precisa ter o conhecimento do Moore para curtir essa HQ muito legal. Se possível pesquise muito sobre folclore mitologia, e religião antes de ler, porque em partes serve para isso, o Alan Moore tem muito conhecimento, mas ele acha que as pessoas deviam ter tanto conhecimento quanto ele então ele faz as referências para que você busque e se informe.

A um exemplo de Liga extraordinária, da qual ele realmente chega a um ponto que o estudo necessário é incrível. Este sim você precisa ler sobre os personagens antes para curtir a revista, e sendo assim, a obra deles. Com essa HQ (E outras) Podemos dizer que nosso querido Alan Moore é um cara sim com conteúdo, ele é diferente dos outros roteiristas, o mesmo não começa uma história e simplesmente sai contanto ela, tudo que ele admira e aprende ele insere nos seus projetos, e eu agradeço muito a ele por isso porque boa parte de meu conhecimento eu comecei a pesquisar com as obras do Alan Moore. E nada do que ele faz, é vazio, então por isso recomendo a qualquer leitor que queira aprender mais, e até sair um pouco da mesmice das histórias da Marvel, DC, Image e Dark horse. Mas porém entretanto toda via, visa vi, a revista não é só filosofia, nela há também possui sua dose de demônios sendo incinerados por cajados luminosos da bikini girl with machinne gun Promethea

Mesmo que ele faça tudo isso e exponha seu Sophie Bangs large 1conhecimento, o mais impressionante é que o Alan Moore não insere nada sem motivo. Sempre há um motivo para aquilo estar ali, não é algo “Ah olha aqui o que eu sei, e você não sabe, seu idiota, vá estudar” é mais para “Ah olha aqui o que sei, e você não sabe, e eu ainda sei inserir isto de uma maneira maravilhosa, seu idiota, vá estudar”. O mundo das ideias em si é uma referência a caverna de Platão, a maneira que ele insere isto é tão orgânica que fica realmente impressionante.

Agora vamos falar do Gorila Chorão.

Essa é provavelmente a melhor coisa de todas as HQs do Alan Moore. Para quem não sabe e nunca leu a estória, o Gorila Chorão é um personagem que chora muito e sempre vê o lado ruim da vida. Posso ter errado mas acho que é uma referência ao tempo em que a DC comics decidiu que colocar gorilas nas capas aumentavam as vendas.

Ás vezes ele fala coisas super profundas quando aparece de relance, outras vezes ele fala coisas cotidianas como:gorilachorao32

“Me falaram para instalar windows 95”

Ou

“Vá em frente, me pergunte sobre meu casamento”

Sobre a personagem Promethea

Acho que ela se compara a própria Mulher Maravilha em questão de personagem (Sendo Diana uma de minhas personagens favoritas). Ela se prova uma personagem feminina muito forte e interessante, sem deixar de contar o fato que ela tem muito de uma verdadeira “amazona” e “Entidade”. O jeito que ela conjurada, e o jeito que a mesma usa seus poderes, é que erguem a personagem. É também muito bom o jeito que o Alan Moore deixa para o leitor como a Sophie se sente naquele momento, como se houvessem duas delas, é esse o legal do fantástico, neste caso, deixar o leitor pensar em como é se tornar uma entidade. O modo como é desenvolvida a parte sexual da personagem também não fica para fora, Sophie tem seu lado sexual muito evidente e explorado, isso é uma coisa perceptível no Alan Moore, ele gosta de falar de sexo, e quem não gosta, não é mesmo? O modo como ela descobre as entidades do mundo das idéias que querem acabar com a Promethea
é muito bom da mesma maneira, se tratando do Alan Moore, a revista é complexa, e requer que você imagine muito, afinal a Promethea é uma ideia viva. Para não estragar sua experiência não vou falar mais da história, leiam e tirem suas conclusões.

Minha Conclusão?

“Há arma mais poderosa que uma caneta?”

Como já dito antes, para mim a revista é recomendada para todos, desde você que está de saco cheio das revistas assinadas por Rob Lifield, até você que quer ler um pouco de filosofia e quer adquirir conhecimento, e não sabe nada de quadrinhos. O trabalho literário é incrível, e mostra como a imaginação e o conhecimento são coisas fascinantes. A filosofia é fascinante, o misticismo é fascinante, o folclore, a religião… Tudo isso é o que faz de nós seres humanos, a crença no futuro, e no próprio “eu”.

Nota final: 10/10, já diria meu amigo Pedro, “Masterpiecememe-fry-boring-masterpiece!”

Se você não concorda… Bom… Opinião é que nem… Ah, você já sabe.