Crítica – Assassinato no Expresso do Oriente | Um carinho nos fãs de Agatha Christie

Quando você evoca o um clássico como “Assassinato no Expresso do Oriente”, e resolve adaptá-lo para os cinemas, você tem automaticamente uma série de obrigações e diretrizes nas suas costas, mesmo se tratando de um trabalho criativo. Afinal, é com o trabalho da lendária escritora Agatha Christie que você está mexendo, e é em cima de uma história clássica que você está trabalhando. Me arrisco a dizer que, se você não tem nada para somar a mitologia dessa obra, é melhor você nem fazer um filme baseado nela. E, levando isso em consideração, o diretor Kenneth Branagh, o elenco, e toda a equipe estão de parabéns, já que esta última adaptação lançada para as telonas se trata de um excelente filme, que respeita bastante a história original, adiciona suas particularidades, e certamente soma muito ao legado da obra.

O filme começa com uma mini-versão dele por completo, de certa forma, apresentando toda a metodologia de Hercule Poirot, e estabelecendo o mesmo na trama como o lendário detetive que ele é. A atuação de Branagh, que também é o diretor do filme casou completamente com a aura do metódico personagem, trazendo ele pras telas de uma maneira muito bem encaixada. No desenrolar das situações, somos apresentados aos demais personagens do filme, e tudo que leva cada um deles ao Expresso do Oriente. Uma das melhores cenas do filme, e que mostra o talento de Kenneth como diretor, é quando Poirot está entrando no trem, e somos apresentados sutilmente a todos os personagens – e futuros envolvidos no crime – de uma única vez.

O caso se desenrola, e óbvio que eu não vou ser o estraga prazeres de te entregar mais detalhes da trama daqui pra frente. Se você já leu o livro, vai sentir o respeito com a história original, mesmo que com algumas leves mudanças em alguns momentos, todas elas positivas para a adaptação cinematográfica. Além do já citado Kenneth Branagh, as atuações de Tom Bateman, como o depravado e charmoso Bouc, de Michelle Pfeiffer como a senhorita Hubbard, e de Leslie Odom Jr como Arburthnot são magníficas e consistentes. Pfeiffer em particular rouba a cena, com uma atuação forte e surpreendente.

Johnny Depp também entrega bem seu personagem, mesmo sem roubar a cena para si. Daisy Ridley é maravilhosa nos momentos chave do filme, mas tem alguns diálogos com atuações fracas, mas nada que estrague seu trabalho como um todo. Josh Gad também apresenta uma atuação bem sólida, crescente nos momentos necessários. O elenco estelar, de uma maneira geral, incluindo Judi Dench, Penélope Cruz, Willem Dafoe, Sergei Pollunin, e todos os outros atores, foi essencial para o filme ser tão bem executado. É um daqueles raros filmes em que ninguém no elenco decepciona.

Assassinato no Expresso do Oriente é um gabarito a ser seguido em questões de adaptação. Com uma forte trilha sonora, um excelente roteiro, e com cenas que te botam na ponta da cadeira, mesmo sem ser um blockbuster de ação, o filme é uma pedida excelente pra quem deseja se iniciar no trabalho de Agatha Christie, e um material obrigatório pra quem é fã da escritora. Ah, e pro segundo grupo, o filme faz uma referência perfeita ao livro “Morte no Nilo”, que já foi confirmado pela Fox que será adaptado para os cinemas como sequência deste filme. O momento em que essa referência acontece é de acalentar o coração. Resumindo em uma frase: vale o ingresso.

[letsreviewunique title=”Assassinato no Expresso do Oriente” pros_title=”PONTOS FORTES” pros=”Atuações acertadas nos momentos chave,Bom desenvolvimento do caso,História cativante e memoravél” cons_title=”PONTOS FRACOS” cons=”Alguns diálogos fracos em momentos isolados” criterias=”Direção,80,Adaptação,100,Roteiro,90,Atuação,85,Trilha Sonora,90″ affiliate=”Assista ao Trailer!,https://www.youtube.com/watch?v=1LqXLJEq4sw” accent=”#edb203″ final_score=”90″ format=”3″ skin=”1″ animation=”1″ design=”1″][/letsreviewunique]

Death Note Netflix – Crítica

O filme conta a história de um jovem estudante chamado Light Turner, filho de um policial, um jovem inteligente e amargurado que perdeu a mãe recentemente, e que encontra um caderno que caiu do céu e aparentemente lhe confere a capacidade de matar qualquer pessoa, em qualquer lugar, como ele quiser, um presente de um deus da morte. Light se junta com Mia, uma líder de torcida que também não vê mais as “cores” do mundo e se junta com o protagonista em uma jornada para fazer do mundo “um lugar melhor”, na visão deles.

Na trama original, um brilhante estudante japonês, Light Yagami, encontra um caderno chamado Death Note, que tem o poder matar qualquer pessoa que tenha seu nome escrito nele. Munido de tal arma, Light decide se tornar o deus do novo mundo, punindo os bandidos e transformando o mundo num lugar melhor. Entretanto, Light não contava com a intervenção de L, um excêntrico detetive, que está determinado a encontrar Kira e o levar a justiça.

O grande problema do longa, contudo é o desvirtuamento de pontos chaves da trama, um dos diferenciais da obra é justamente o embate intelectual entre Light e L, que no filme é totalmente esquecido. A relação originalmente meramente funcional de Light e Mia é transformada no tema central do filme, o que fez Mia parecer com outra pessoa, obcecada por poder e pela posse do Death Note ao invés da sua admiração e obsessão amorosa e psicótica por Light. O filme não traz conceitos como pena de morte e a linha que divide o que e certo e o que errado, como o original, tem uma boa fotografia, mas não há nada de extraordinário no conceito adaptado da obra, nem tão pouco nas atuações, sem contar a trilha sonora que se altera entre pop clássico e rock melódico, o que muitas vezes tira o clima de tensão da cena.

Mesmo para quem não conhece o original e não traça os paralelos descritos acima, os personagens são rasos e suas motivações não são o suficiente para sustentar suas ações de forma verossímil; Ryuk se torna ainda mais dispensável, ao invés de sombrio e sádico; L fica mais desinteressante, é mais parece um detetive temperamental e Light/Kira passa a impressão de ser muito mais mimado. O transformando em uma mera vítima da sociedade ao invés de um sociopata frio e calculista, que estava apenas entediado com o mundo ao seu redor.

Antes de assistir e aconselhável que seja feito o desprendimento dos personagens e da história original do mangá. Pois diferenças gritantes irão acontecer ao longo da história.
O filme e o anime original estão disponível no portal Netflix.

          

Fora o filme americano da Netflix, há também as adaptações japonesas Death Note (adaptação direta do mangá),  intituladas de Death Note: The Last Name ( 2006) , Death Note: L – Change The World (2008) e o último, Death Note:  Light Up The New World (2016).

A Nova Doctor Who!

Doctor Who é uma série de ficção científica britânica, produzida e transmitida pela BBC. A série mostra as aventuras do Doutor (The Doctor), um Senhor do Tempo, que explora o universo em sua máquina do tempo, uma sensível nave espacial conhecida como Tardis.

A BBC anunciou neste domingo (16) que Jodie Whittaker será o 13º doutor da série “Doctor Who”.

Ela é a primeira mulher a interpretar o protagonista do seriado, no ar desde 1963. O Peter Capaldi fará sua última aventura como o 12º doutor em um especial de Natal, que vai ao ar ainda em 2017.

O Doutor (Agora Doutora) enfrenta uma variedade de inimigos, enquanto trabalha para salvar as civilizações, ajudar as pessoas comuns e corrigir erros. Embora uma das grandes constantes da série “Doctor Who” seja que ninguém sabe quem ele/ela realmente é.

No Brasil, Doctor Who é transmitido pelo canal pago Syfy.

 

Final Fantasy XV: Episode Ignis | Novo trailer divulgado.

Como se não bastasse um vasto mundo para ser explorado e um gameplay com, aproximadamente, 40 a 50 horas para ser fechado, o game Final Fantasy XV vem trazendo muitas novidades com suas novas DLCs. A novidade em alta é um novo trailer de Episode Ignis, DLC que irá permitir que o jogador controle o personagem Ignis em novas aventuras nesse mundo fantástico e perigoso.

Você pode conferir o trailer clicando no vídeo abaixo.

 Final Fantasy XV: Episode Ignis está pré-visto para ser lançado em dezembro de 2017.

BIG Business Forum recebe investidores e publishers internacionais em São Paulo

O BIG Business Forum é uma das ações do BGD, Projeto Setorial de Exportação Brazilian Game Developers, uma parceria entre a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos, Apex-Brasil, e a Abragames, Associação Brasileira das Desenvolvedoras de Jogos Digitais.

O fórum acontece de 27 de junho a 1º de julho, paralelamente às atividades abertas ao público do BIG Festival, com 90 palestras, painéis, keynotes, workshops de capacitação e encontros com publishers e investidores. As Rodadas de Negócios serão realizadas de 28 a 30 de junho, com a novidade do BIG Anima Business Meetings, parceria entre o BIG Festival e o Anima Mundi que tem como objetivo o fortalecimento das empresas brasileiras de jogos e animação no mercado internacional.

Este ano, um dos nossos focos é abrir oportunidades no mercado chinês e para isso estamos trazendo 5 profissionais do mercado para o Painel “Doing Great Business in China”, no dia 29 de junho, e para as Rodadas de Negócios”, diz Eliana Russi, Gerente Executiva do Projeto Brazilian Game Developers.

As reuniões entre desenvolvedores, publishers, commissioning editors e investidores do mundo todo são o ponto forte do BIG Festival. Na edição de 2016, foram fechados US$ 2 milhões em negócios durante o evento, com perspectiva de US$ 20.7 milhões para os 12 meses seguintes, segundo a Abragames. Essas reuniões de negócios são feitas por meio de uma ferramenta exclusiva de matchmaking, desenvolvida pelo BIG Festival.

Serão 5 dias em que a cidade de São Paulo se tornará um hub internacional de negócios do setor, com o objetivo de fortalecer a indústria brasileira de jogos digitais, capacitando e criando novas oportunidades de negócios para as empresas nacionais no mercado internaciona

Convidados Internacionais do BIG Festival 2017

Ao todo, mais de 70 convidados internacionais estarão presentes no BIG Business Forum, entre eles Gerard Marino, compositor responsável pela trilha épica de God Of War, Mike Foster, da Sony Playstation, Curtis Cherrington, da Electronic Arts, e Bobby Wertheim, da SEGA.

O evento ainda contará com representantes de empresas como Bandai Namco, Activision, Rovio, Intel, Google, IGDA, XBox – Microsoft, VFS, NDA Ventures Network Dynamics Associates, AppNext, XSEED Games / Marvelous USA ½, 360 Games, CVCapital, Execution Labs, Play the City, Gambitious (Devolver), Indienova, Sony/PlayStation, HTC VIVE, Altered Ventures, WordVRForum, 4Evers Games, Raw Fury, Tenjin, Team17 , Gamefounders, MiniClip, Versus Evil, Yodo1, Gamebau, EVA/Senscape, Brainz, HyperBeard, Efecto Studios, BNDES, FINEP e CQS Advogados.

Delegações de desenvolvedores vindas da Alemanha, de Québec, no Canadá, e da Suíça completam a lista de convidados que poderão discutir e trocar experiências com os profissionais brasileiros.

Destaques da programação do BIG Business Forum

Em 2017, o BIG Festival vai aproximar investidores públicos e privados do setor de games. Para tanto, foi criado uma nova vertical, o BIG Ventures, um line-up é dedicado ao empreendedorismo, com startups e investidores, para unir a indústria criativa com tecnologia e investimentos.

Durante a Rodada de Negócios acontecerá a Legal Clinic, uma parceria do BIG Festival com o escritório de advocacia Cesnik, Quintino e Salinas (CQS), especializado na indústria criativa, que estará disponível para tirar dúvidas referentes a contratos e tributação, tantos dos desenvolvedores brasileiros como dos publishers, buyers e investidores internacionais.

A realidade virtual e aumentada são as grandes tendências do mercado de games e para discutir esse tema foi criado a vertical BIG Realidade Virtual, com palestras internacionais e nacionais sobre o tema. Fora isso, há uma categoria nova na Competição Oficial de Games para o melhor jogo em VR.

Os games aplicados à educação, saúde, cidadania, planejamento urbano, meio-ambiente, mobilidade, que visam impactar positivamente a sociedade por meio do lúdico serão discutidos ao longo do BIG Impact. A grande atração desta vertical é a vinda de Emma Humphries, da iCivics, ONG Norte Americana que trabalha a cidadania por meio de games.

Além das verticais especiais, o fórum irá contar com diversos outros painéis e palestras dedicadas a capacitar profissionais, como os painéis do BNDES, Banco Nacional do Desenvolvimento, dedicados a tratar sobre investimentos e financiamentos no mundo dos games.

Todos esses assuntos serão abordados durante o BIG Business Forum, que ocorre dentro do BIG Festival, o maior evento de jogos independentes da América Latina, que vai de 24 de junho a 2 de julho no Centro Cultural São Paulo, Rua Vergueiro, 1000, com entrada gratuita.

Já o BIG Starter é uma iniciativa dedicada aos jogos independentes brasileiros que ainda estão em fase de desenvolvimento ou que ainda não tenham sido publicados. Os desenvolvedores finalistas terão a oportunidade única de apresentar os seus projetos e um plano de negócios a um público com nomes de destaque na indústria, nacional e internacional, à imprensa e a investidores no dia 28 de junho. São duas categorias, ‘Melhor Jogo Educacional’, e ‘Melhor Jogo de Entretenimento’, e os vencedores receberão um troféu e um prêmio de R$ 20 mil cada.

As inscrições para o BIG Business Forum já estão abertas. Profissionais da indústria de games podem se inscrever no link: www.bigfestival.com.br.

Confira algumas fotos da edição passada do evento:

Thor: Ragnarok | Arte conceitual traz Thor usando elmo clássico.

Em uma nova arte conceitual divulgada por Andy Park – supervisor visual – que trabalhou como artista conceitual em todos os filmes da Marvel, podemos ver Thor usando o seu elmo clássico e duas espadas.

É possível que não vejamos a cena no filme, ela deve aparecer apenas no livro aonde terão as artes conceituais, mesmo assim é uma bela imagem aonde podemos ver que o elmo funcionaria tão bem nos filmes quanto funciona nos quadrinhos.

Thor: Ragnarok estreia nas telonas no dia 2 de novembro de 2017.

Fonte: Legião dos Heróis

Guardiões da Galáxia Vol. 2 | Novos comerciais são divulgados.

Guardiões da Galáxia já está perto de seu lançamento e a Marvel ainda está divulgando conteúdo sobre o filme, a façanha dessa vez foi divulgar novos comerciais do filme. Em um os vilões e as aventuras vividas pela equipe são focadas, enquanto o outro, postado no página do Vin Diesel no Facebook. foca apenas no Baby Groot.

Você pode conferir os dois comerciais abaixo:

O filme estreia nas telonas no dia 27 de abril, não deixe de ir conferir!

Fonte: Jovem Nerd

Square Enix está desenvolvendo jogo para Nintendo Switch.

O Nintendo Switch chegou aos consumidores com muito entusiasmo, mas isso não foi o bastante para que ele fosse recepcionado com uma quantidade de jogos considerável. O console, que ainda é recente, tem despertado um interesse de muitas empresas e uma delas é da Square Enix, conhecida por produzir jogos como Final Fantasy e estar envolvida em uma co-produção com a Marvel para um jogo dos Vingadores.

Em uma entrevista com o site japonês Nikkei Trendy, o atual presidente da Square Enix, Yosuke Matsuda, afirmou que a empresa produzira um jogo para o console e que estão pensando em quais títulos também poderiam ser portados.

Estamos pensando sobre quais títulos existentes podemos portar com sucesso para o Switch.

Não entrou em mais detalhes sobre a produção existente, mas – com o histórico que a indústria de jogos tem com a empresa – só podemos esperar que seja algo, no mínimo, interessante.

Fontes: Jovem Nerd

The Walking Dead tem menor audiência em 5 anos.

A 7ª temporada de The Walking Dead teve seu fim no último domingo (2), para muitos fãs o final não foi decepcionante, mas os executivos não ficaram satisfeitos. O fato é que a série teve a menor quantidade de espectadores assistindo, desde 2012, que se resumiu a 11.4 milhões nos Estados Unidos.

Em 2012 a série também teve uma queda, no encerramento da segunda temporada, apenas 9 milhões de espectadores estavam acompanhando o episódio.

A 7ª temporada que começou com alta audiência, terminou, contrariando as expectativas, com uma baixa taxa de espectadores. A série volta em outubro em sua 8ª temporada.

Em uma entrevista antiga (2014) o produtor de The Walking Dead, David Alpert, afirmou que planejava levar a série até a 12ª temporada, nos resta esperar e torcer para que os níveis de audiência não atrapalhem esse planejamento.

Fontes: Adoro Cinema & Jovem Nerd

Diretora de “Mulher Maravilha” fala sobre pegada cômica em filme.

A DC é conhecida por fazer filmes mais escuros e com menos alivio cômico, mas a diretora, Patty Jenkins, em uma entrevista com o ComicBook.com, resolveu falar um pouco desse paradigma. Nessa entrevista ela afirmou que o filme terá algumas pegadas de humor e ainda comparou a, filmes anteriores no universo DCEU, Batman vs. Superman.

Eu acho que há coisas engraçadas em ambos os filmes, mas nós definitivamente fomos para fazer um filme engraçado. Eu estava sempre baseando-o no Superman I e no Indiana Jones. Eu queria fazer um filme clássico onde você está rindo e está apaixonado por eles e, em seguida, eles estão em uma grande aventura. É definitivamente o que buscamos em nosso filme.

E ainda disse que o filme não terá como requisito o conhecimento de filmes antigos no DCEU. Poderemos perceber uma ligação ao filmes mais recente, Batman vs. Superman, mas não será algo que mudará a história.

Há coisas aqui e ali, mas é um filme autônomo. Deve suceder às pessoas que viram Batman vs. Superman ou não viram nada.

Então podemos esperar que Wonder Woman seja um filme com muitos alívios cômicos e pegadas mais leves que os outros filmes do mesmo universo. O fato da citação de “Superman 1” e “Indiana Jones” poderá trazer aos fãs uma sensação de reconforto e altruísmo.

O filme estreia em 2 de junho de 2017, só nos resta esperar para vermos na telona do cinema.

Fonte: HeroicHollywood