The Flash – 5° Temporada | A série ainda consegue continuar? [REVIEW]

Após a 5° temporada, ainda resta algo para a série aproveitar?

Share on facebook
Compartilhe no Facebook
Share on twitter
Tuitar isso
Share on whatsapp
Enviar no Whatsapp

The Flash ganhou sua 1° temporada em 2014. Imediatamente ela fez um grande sucesso e foi renovada para a 2° temporada, que se concretizou como a melhor da série. Porém, infelizmente, após isso a série teve uma queda de qualidade tremenda. Atualmente, a 5° temporada foi concluída e não é nenhum exagero dizer que é a pior temporada da série inteira. Mas a grande questão que fica no ar é: a série ainda tem forças para continuar?

A temporada começa no momento exato em que a 4° terminou. Nora Allen, a filha de Barry e Iris, se apresenta para eles e daí as confusões começam a aparecer. Ela veio com o propósito de evitar o desaparecimento do Flash na Crise, que seria em 2024; e descobrimos também que ela trabalha com Eobard Thawne.

A atriz que interpreta Nora, Jessica Parker Kennedy, por muitas vezes parece forçar sua atuação. Ela é uma boa atriz, mas as vezes não convence como Nora. Além disso, a personagem consegue ser extremamente chata na maioria das vezes e mais atrapalha do que ajuda… mas isso é culpa do roteiro.

 

Protagonistas

Grant Gustin continua sendo um dos melhores atores da série, principalmente em cenas dramáticas. Infelizmente, isso por si só não ajuda o ator, já que o roteiro deixa o protagonista um tanto quanto limitado.

Inimigos que ele poderia derrotar facilmente com um golpe acabam sendo derrotados em um episódio inteiro. Episódios que poderiam ser usados para outras coisas, como desenvolvimento de personagens por exemplo; e ainda temos o fato de já terem se passados 5 anos na série e Barry continuar dependendo de discursos motivacionais… São coisas que incomodam muito.

Iris é facilmente a personagem mais forçada e chata da série inteira: toma algumas decisões erradas, está sempre se metendo em coisas que não precisam dela e a personagem sempre acha que pode fazer mais do que ela realmente consegue. Isso não seria ruim se os roteiristas não fizessem com que ela realizasse esses feitos extremamente impossíveis para ela. Obviamente, a culpa não é da atriz Candice Patton, que é muito talentosa e atua muito bem. Nesse caso, mais uma vez, o roteiro tende a atrapalhar.

Cisco e Caitlin foram personagens que vieram perdendo o peso que tinham no inicio da série — principalmente o querido Cisco. Enquanto Caitlin teve um pequeno arco na temporada, envolvendo o seu passado como Nevasca e o seu relacionamento com o seu pai e com a sua mãe, Cisco se limitou a apenas conseguir um novo relacionamento, a conseguir fazer a cura para os meta humanos e a quase perder os seus poderes em um plano que poderia facilmente ter sido diferente. Não é a toa que o personagem escolheu tomar a cura e abandonar os seus poderes, e pelo que temos notado, o personagem dificilmente deverá voltar como regular na próxima temporada. Isso é uma pena, já que Cisco saiu da posição de um dos melhores personagens da série para um mero coadjuvante.

 

Mais personagens

Ralph Dibny é… Ralph Dibny, o personagem está ali apenas para ser o alivio cômico nos episódios. Quase não há desenvolvimento, exceto em alguns momentos onde ele “liga” o seu lado detetive, algo que foi interessante de se ver na temporada e que com certeza pode ser explorado na próxima. A atuação de Hartley Sawyer funciona e é muito engraçada.

Agora, temos o principal problema da temporada, o vilão Cicada — ou devo dizer, Os Cicadas.

O primeiro Cicada foi interpretado pelo ator Chris Klein, que na maioria dos episódios em que aparece nos dá uma atuação sofrível e muito forçada em alguns momentos. O vilão não passa ameaça alguma e a sua motivação é extremamente fraca e ridícula: mais uma vez, o roteiro não ajuda e transforma um inimigo que poderia ser bom em uma piada completa.

O antagonista em vários episódios poderia ter sido derrotado facilmente, mas aí aparece o grande vilão da série novamente… o roteiro. E ele ainda alonga sua derrota por mais um episódio.

Na segunda metade da temporada temos a personagem Grace, que é nada mais, nada menos do que a sobrinha do vilão Cicada. Em determinado momento, Cicada ll aparece e descobrimos que trata-se da Grace que veio do futuro. Logo após salvar o seu tio no presente, ela o mata quando, em um momento desesperador de redenção, ele tenta impedi-la de matar o Flash. Ela foi interpretada pela atriz Sarah Carter que, assim como o ator Chris Klein, atua terrivelmente mal e em vários momentos de forma forçada. Neste caso, eu realmente não culpo o roteiro porque nada poderia mudar o fracasso que é a personagem. Ela, assim como Cicada l, não passa nenhuma ameaça e poderia ter sido derrotada já no 1° episódio em que aparece.

Houve algo positivo na temporada: o ator Tom Cavanagh, que se consagrou como o melhor ator da série, leva por várias vezes alguns episódios nas costas.

Nessa fase, ele interpretou outra versão de Harrison Wells: trata-se de Sherloque Wells, um personagem extremamente inteligente e que funciona com o plot da temporada. Além disso, ele interpretou novamente Eobard Thawne — o Flash Reverso, que confirmou na temporada o porquê de o vilão ser o melhor da série.

Eobard funciona quando precisa e Tom se consagra como o rosto oficial do personagem… a menos que o roteiro queira mudar isso (e eu espero que realmente não mude).

O CGI as vezes é bom, e às vezes é terrível, mas como The Flash é uma série de TV e tem um orçamento limitado, é um nível de trabalho que pode ser aceito.

The Flash conseguiu milagrosamente chegar na 6° temporada e agora, infelizmente, só os fãs estão mais atentos. Acredito que eles não aceitarão qualquer coisa que seja jogada na tela. The Flash ainda é uma série que pode ter alguma redenção, assim como Arrow teve.

 

Comparações

O grande problema na comparação é que Arrow teve uma temporada mediana e uma temporada horrível, enquanto The Flash vem da sequência de uma temporada fraca, uma temporada ruim e essa temporada, que foi a pior da série. Se os produtores não abrirem o olho, a série vai continuar andando em direção ao abismo e nesse momento, eu fico triste.

Triste por ver uma série com um potencial gigantesco ser jogada no lixo — afinal, estamos falando do Flash, um dos grandes heróis da DC. Mas eu também penso que, no momento e para o bem do personagem, o cancelamento seria o ideal… a menos que a série consiga dar a volta por cima.

A série funcionaria melhor se tivesse menos episódios (quem sabe 10, 13 ou 15, sendo 13 seria a escolha perfeita); ou, a série poderia ter mais de um plot principal na temporada: um deles na primeira metade da temporada, e o outro no retorno do hiato que ocorre em todo final de ano.

Em diversos momentos na temporada 3 eu pensei em desistir de acompanhar a série, porque a qualidade da mesma estava ruim. Mas, em respeito à você, eu não o fiz. Infelizmente, se a mesma coisa voltar a acontecer na próxima season, eu já adiantarei para você um pedido de desculpas,  já que, se a próxima temporada estiver no mesmo nível dessa, ela com certeza vai perder um fã.

Nota: 3,5/10.

Versão "Rise" 5.0.1 beta - Crafted with ❤ by @mattzbarbosa
© 2018. O Mestre da HQ - O seu portal de conteúdo Geek