[CRÍTICA] Shazam | A aventura mais divertida da DC

Shazam entrega aquilo que ele deveria entregar?

Share on facebook
Compartilhe no Facebook
Share on twitter
Tuitar isso
Share on whatsapp
Enviar no Whatsapp

O filme conta a história de Billy Batson (Asher Angel) que tem apenas 14 anos de idade, mas recebeu de um antigo mago o dom de se transformar num super-herói adulto chamado Shazam (Zachary Levi). Ao gritar a palavra SHAZAM!, o adolescente se transforma nessa sua poderosa versão adulta para se divertir e testar suas habilidades. Contudo, ele precisa aprender a controlar seus poderes para enfrentar o malvado Dr. Thaddeus Sivana (Mark Strong).

Que belo filme que o diretor  David F. Sandberg nos entregou… Um Filme cheio de aventura, comédia, um filme que trata de um assunto importantíssimo, mas as vezes esquecido por nós que é a adoção, os órfãos e tudo pelo o que esses jovens tem de passar por boa parte da vida e trata também de amadurecimento, principalmente por parte do nosso protagonista.

Logo no início do filme, somos apresentados ao grande vilão do filme, o Doutor Silvana, ainda criança, desde o início nós conseguimos entender e aceitar as suas motivações e ações, apesar de ser um vilão um tanto quanto genérico de filme de super-heróis, ele funciona para o propósito de Shazam e se garante como um dos melhores do Universo Cinematográfico da DC, atrás apenas de Zod e Orm, respectivamente.

Billy Batson é um garoto problemático, bem encrenqueiro e isso fica claro no momento em que ele aparece no filme, o maior drama de Billy é o fato dele estar tentando encontrar sua mãe que o perdeu quando ele ainda era criança e por isso, Billy não consegue parar em nenhum lar adotivo, por sua teimosia e persistência em tentar encontrar a sua mãe, acima de qualquer coisa, sobre o ator, Asher Angel, é um bom ator, mas que falha a demonstrar algumas emoções no filme, mas nada que não possa ser resolvido para o futuro e relevado para quem assiste o filme.

Freddy é facilmente uma das melhores coisas do filme, tanto pela parte cômica, quanto pelo seu pequeno drama que não é tão debatido assim no filme, mas que nós conseguimos entender.

Freddy é a pessoa que ensina à Billy tudo o que ele precisa saber para ser um super-herói e é quem o ajuda a aprender a controlar e a descobrir os seus poderes.

Os outros irmãos de Billy não chegam a ser tão importantes até o final do filme, mas cada um tem seu propósito para estar no filme, tanto a pequena Darla que querendo ou não é uma representante dos negros no filme e o grande (não, não é um trocadilho) Pedro que posso dizer tranquilamente que representa a comunidade LGBT.

Os pais adotivos de Billy são os mais amáveis e engraçados possíveis e funcionam bem no filme.

Levi está ótimo como Shazam, o ator é engraçado e quando necessário, tem todo o ar de durão que um adolescente de 15 anos, o que é perfeito para o filme, o ator nasceu para o papel.

As cenas em CGI no geral são boas, tirando algumas excessões, mas nada que atrapalhe o filme ou que comprometa sua qualidade.

Shazam é uma aventura deliciosamente divertida, que entrega aquilo que ele deveria entregar, um filme para toda a família, completamente fiel ao material dos Novos 52, que tem os seus erros, seja no CGI ou no roteiro, mas que entra facilmente como o 2°melhor filme do Universo Cinematográfico da DC, atrás apenas de Aquaman.

Nota: 8,0/10,0.

 

 

Versão "Rise" 5.0.1 beta - Crafted with ❤ by @mattzbarbosa
© 2018. O Mestre da HQ - O seu portal de conteúdo Geek