Especial Mundial | Do começo aos dias atuais

Competição começou em 2011 durante um DreamHack, na Suécia e teve a Fnatic como campeã daquele ano. Ao longo do tempo, o torneio foi tomando formas diferentes e novos campeões emergiram desde então.

Summoner's Cup
Share on facebook
Compartilhe no Facebook
Share on twitter
Tuitar isso
Share on whatsapp
Enviar no Whatsapp

Certamente, o Mundial de League of Legends é o maior torneio da categoria, isso não temos dúvida. Ao longo dos anos, diversos formatos foram adotados e com isso mais equipes e regiões foram adentrando ao torneio. Sendo assim, falaremos um pouco sobre cada edição e seus respectivos campeões.


Season One Championship (2011)

Foi o primeiro torneio oficial que a Riot Games organizou, e contava com a participação de equipes da América do Norte, Europa e Sudeste Asiático. Dessa forma, como representantes norte-americanos tivemos Team SoloMid, Counter Logic Gaming e Epik Gamer. Os europeus foram representados por againt All authority, Fnatic e Team GAMED.DE. Pelo sudeste asiático, tínhamos Xan, de Cingapura e Pacific eSports, das Filipinas. O torneio foi disputado em dois grupos com quatro equipes com apenas jogos de ida. O primeiro colocado de cada grupo garantia vaga nas semifinais do torneio, enquanto o segundo e o terceiro teriam de disputar a chamada Relegation Round, e quem fosse derrotado na Winner Bracket jogaria a Loser Bracket para definir o quinto, quarto e terceiro colocado respectivamente. Além disso, nesse chaveamento também definiria aquele que decidiria o título contra o vencedor do Winner Bracket. Os play-offs eram todos disputados em série Md3.

A decisão ficou entre Fnatic e aAa, proclamando, enfim o primeiro campeão do torneio ao vencer a série por 2 a 1 e se sagrando o campeão do torneio pela primeira vez.

Fnatic: Enrique “xPeke” Martínez (Topo), Lauri “CyanideFi” Happonen (Selva), Maciej “Shushei” Ratuszniak (Meio), Manuel “LaMiaZeaLoT” Mildenberger (ADC), Peter “Mellisan” Meisrimel (Suporte) e Bram “wewillfailer” de Winter (Reserva)

Fnatic Season 1 Rolster
Fnatic comemorando a premiação do Mundial 2011, realizado na Suécia. Foto: LOL Esports

Season 2 World Championship (2012)

Realizado nos Estados Unidos, o torneio a princípio se apresentaria como Mundial de League of Legends. Naquele ano, entraram mais 4 equipes no torneio. Coreia do Sul e a China receberam duas vagas no torneio. Entretanto, o Sudeste Asiático e o Taiwan contavam com apenas uma vaga cada. Os representantes da América do Norte eram Team SoloMid, Team Dignitas e CLG Prime. Pelo lado europeu, tivemos Moscow Five, SK Gaming e CLG Europe. Os representantes coreanos foram Azubu Frost e NaJin Sword. Dos times chineses, tivemos Team WE e Invictus Gaming, e por fim, representando o Vietnã tivemos Saigon Jockers e pelo Taiwan a Taipei Assassins.

O torneio ainda na fase de grupos era do mesmo formato anterior. No entanto, durante a fase de play-offs o torneio teve uma mudança e passaria a ter as quartas-de-final, semifinais, de modo que as séries fossem disputadas em formato Md3 e a final sendo Md5, como funciona até hoje. A decisão do torneio foi entre a Azubu Frost e Taipei Assassins, com vitória dos taiwaneses por 3 a 1. Também, foi a primeira vez que a Summoner’s Cup (ou Copa dos Invocadores) foi apresentada ao público.

Taipei Assassins: Wang “Stanley” June-Tsan (Topo), Sung “Lilballz” “Alex” Kuan-Po (Selva), Lau “Kurtis” “Toyz” Wai Kin (Meio), Chang “BeBe” Bo-Wei (ADC) e Chen “MiSTakE” Hui Chung.

TPA Season 2 Rolster
Taipei Assassins foi o primeiro time a erguer a Copa dos Invocadores. Foto: Riot Games

Season 3 World Championship (2013)

Posteriormente, o torneio voltava a ser sediado no mesmo pais à edição anterior, e passava a contar com 14 equipes na disputa. As vagas foram distribuídas da seguinte maneira:

  • Coreia do Sul, América do Norte e Europa: 3 vagas
    • Representantes da Coreia: SK Telecom T1, NaJin Black Sword e Samsung Ozone
    • Representantes da América do Norte: Team SoloMid, Cloud9 e Team Vulcan
    • Representantes da Europa: Fnatic, Lemondogs e Gambit Gaming
  • China: 2 vagas (Royal Club e Oh My God)
  • Sudeste Asiático, Taiwan e International Wildcard: 1 vaga (Mineski, Gamania Bears e GamingGear.eu, respectivamente)

Entretanto. torneio teve algumas mudanças em relação a fase de grupos, dessa maneira. acrescentava-se mais duas vagas (Coreia e International Wildcard), os grupos eram divididos em cinco equipes e, pela primeira vez passaria a ter jogos de ida e volta durante a etapa. Somente os 2 melhores de cada grupo passariam para os play-offs.

Posteriormente, a mesma fase também teria algumas mudanças: quatro equipes (Gamania Bears, Cloud9, Royal Club e NaJin Black Sword) já estavam classificados para as quartas-de-final, apenas aguardando os outros adversários da fase anterior, no entanto o formato permanecia o mesmo da edição anterior, com séries Md3. A partir das semifinais, as partidas eram disputadas em formato Md5. Na decisão, tivemos o embate entre Royal Club contra SK Telecom T1, a primeira de muitas rivalidades entre China e Coreia. Os coreanos venceram por 3 a 0 conquistando o primeiro título da região.

SK Telecom T1: Jung “Impact” Eon-yeong (Topo), Bae “Bengi” Seong-woong (Selva), Lee “Faker” Sang-hyeok (Meio), Chae “Piglet” Gwang-jin (ADC) e Lee “PoohManDu” Jeong-hyeon

SKT Rolster Season 3
SK Telecom T1 conquistando seu primeiro título da história. Foto: Riot Games

2014 Worlds Championship

Sediado em três países diferentes, o Mundial de 2014 contou com 16 times participantes. As vagas das regiões foram divididas da seguinte maneira:

  • América do Norte (3 vagas): Team SoloMid (Seed 1), Cloud9 (Seed 2) e LMQ (Seed 3)
  • Europa (3 vagas): Alliance (Seed 1), Fnatic (Seed 2) e SK Gaming (Seed 3)
  • China (3 vagas): Edward Gaming (Seed 1), Star Horn Royal Club e Oh My God (Seed 2)
  • Coreia do Sul (3 vagas): Samsung Blue (Seed 1), Samsung White e Najin White Shield (Seed 2)
  • Sudeste Asiático e Taiwan (2 vagas): Taipei Assassins e ahq e-Sports Club (Seed 2)
  • International Wildcard: Dark Passage e KaBuM! e-Sports (Seed 3)

A fase de grupos do torneio, disputada em Cingapura e Taiwan foi divida em quatro grupos com quatro equipes, com partidas de ida e volta, onde os dois primeiros se classificam para a próxima etapa.  A partir dessa edição, todas as fases eliminatórias, disputadas na Coreia, seriam em formatos Md5. A decisão, realizada em Seul, foi marcada pela rivalidade China contra Coreia. Star Horn Royal Club e Samsung White se enfrentaram pelo título daquele ano. Melhor para os coreanos, que venceram a série por 3 a 1, sendo campeões em casa.

Samsung White: Jang “Looper” Hyeong-seok (Topo), Choi “DanDy” In-kyu (Selva), Heo “PawN” Won-seok (Meio), Gu “imp” Seung-bin (ADC) e Cho “Mata” Se-hyeong (Suporte)

SSW 2014 Rolster
Samsung White erguendo a Summoner’s Cup. Foto: GameCrate

2015 World Championship

Quinta edição do torneio, o Mundial de 2015 seguia o mesmo formato a edição anterior. Disputado na Europa, em três países diferentes, o torneio contava com a participação das seguintes equipes:

  • América do Norte (3 vagas): Team Solo Mid, Cloud9 e Counter Logic Gaming
  • Europa (3 vagas): Fnatic, Origen e H2K e-Sports
  • Coreia do Sul (3 vagas): SK Telecom T1, KOO Tigers e KT Rolster
  • China (3 vagas): Edward Gaming, Invictus Gaming e LGD Gaming
  • LMS (2 vagas): Flash Wolves e ahq e-Sports Club
  • International Wildcard (2 vagas): Bangkok Titans e paiN Gaming

As fases de grupo, disputada na França, e eliminatórias, sendo quartas-de-final em Londres e semifinais em Bruxelas, seguiam os mesmos padrões da edição anterior do torneio. A final, disputada na Alemanha foi entre SK Telecom T1 (campeã em 2013) contra KOO Tigers. Foi a primeira vez que a região coreana disputava o título entre si. Após uma série de quatro jogos, a SK Telecom T1 se sagrou bicampeã mundial naquele ano, vencendo por 3 a 1.

SK Telecom T1 (segundo título):  Jang “MaRin” Gyeong-hwan (Topo), Bae “Bengi” Seong-woong (Selva), Lee “Faker” Sang-hyeok (Meio), Lee “Easyhoon” Ji-hoon (Reserva/Meio), Bae “Bang” Jun-sik (ADC) e Lee “Wolf” Jae-wan (Suporte) e Kim “kkOma” Jeong-gyun (Coach)

SKT 2015 Rolster
SK Telecom T1 se sagrou bicampeã em 2015. Dupla Faker e Bengi estavam na equipe na primeira conquista. Foto: Red Bull

2016 World Championship

De volta aos Estados Unidos, a sexta edição do Mundial foi disputada em três estados (Chicago, Nova York e Califórnia). O torneio contava com as seguintes equipes:

  • América do Norte (3 vagas): Team SoloMid (Seed 1), CLG (Seed 2) e Cloud9 (Seed 3)
  • Europa (3 vagas): G2 Esports (Seed 1), H2K e-Sports (Seed 2) e Splyce (Seed 3)
  • Coreia do Sul: ROX Tigers (Seed 1), SK Telecom T1 e Samsung Galaxy (Seed 2)
  • China: Edward Gaming (Seed 1), Royal Never Give Up e I May (Seed 2)
  • International Wildcard: Albus NoX Luna e INTZ e-Sports (Seed 3)

A fase de grupos ocorreu em São Francisco, seguindo o mesmo formato da edição anterior. Posteriormente, as fases eliminatórias aconteceram em Chicago, Nova York e Los Angeles.

A decisão do torneio colocava a frente Samsung Galaxy e SK Telecom T1, que, eventualmente se enfrentariam um ano depois. Em uma série de cinco jogos, a SKT se sagrou tricampeã mundial, se tornando até hoje o maior vencedor do torneio. Na história, apenas Faker e Bengi possuem três títulos na carreira.

SK Telecom T1 (terceira conquista): Lee DukeHo-seong (Topo), Bae “Bengi” Seong-woong (Selva), Kang “Blank” Sun-gu (Reserva/Selva), Lee “Faker” Sang-hyeok (Meio), Bae “Bang” Jun-sik (ADC) e Lee “Wolf” Jae-wan (Suporte) e Kim “kkOma” Jeong-gyun (Coach)

SKT 2016 Rolster
Maior dinastia do League of Legends, SK Telecom T1 conquistou seu terceiro título em 2016. Foto: Red Bull

2017 World Championship

Sediado na China, a sétima edição do Mundial foi disputada em quatro locais diferentes: a fase de grupos em Wuhan, quartas-de-final em Guangzhou, semifinais em Shanghai e a decisão em Beijing. Diferente das edições passadas, o torneio passaria a adotar um novo formato de disputa dividido em três fases: Play-in, Group Stage e Play-offs. Pois, os torneios Wildcard seriam extintos e unificados aos torneios da Riot Games (tanto o Mundial quanto o MSI).

Dessa maneira, o torneio passava a contar com 24 equipes, sendo 12 delas disputando a chamada fase de entrada (Play-in) de tal forma que colocasse as equipes minor frente as major. Que contava com as seguintes equipes:

Fase de entrada

  • Cloud9 (NA LCS), Fnatic (EU LCS), Hong Kong Atitute (LMS) e Team WE (LPL) – (Seed 1)
  • 1907 Feberbahçe (TCL), Team oNe e-Sports (CBLOL), Gambit Esports (CIS) e Young Generation (SEA)
  • Kaos Latin Gamers (CLS), Dire Wolves (OPL), Rampage (LJL) e Lyon Gaming (LLN)

As equipes se enfrentavam em quatro grupos de 3, classificando apenas o primeiro e o segundo para a fase eliminatória Md5. Quem vencesse a série, estaria garantido na fase de grupos do torneio.

Chegando na fase de grupos, o torneio continua nos mesmos moldes das edições anteriores, contando com a participação das seguintes equipes:

Fase de grupos

  • Coreia do Sul (3 vagas): Longzhu Gaming (Seed 1), SK Telecom T1 (Seed 2) e Samsung Galaxy (Seed 3)
  • América do Norte (3 vagas): Team SoloMid (Seed 1), Immortals (Seed 2) e Cloud9 (Fase de entrada/Seed 3)
  • Europa (3 vagas): G2 Esports (Seed 1), Misfits Gaming (Seed 2) e Fnatic (Fase de entrada/Seed 3)
  • China (3 vagas): Edward Gaming (Seed 1), Royal Never Give Up (Seed 2) e Team WE (Fase de entrada/Seed 3)
  • LMS (2 vagas): Flash Wolves (Seed 1) e ahq e-Sports Club (Seed 2)
  • Sudeste Asiático: GIGABYTE Marines (Seed 1)
  • Turquia: 1907 Fenerbahçe (Fase de entrada/Seed 2)

Ao final da fase de grupos e das eliminatórias, chegamos a decisão que havia acontecido anteriormente, entre SK Telecom T1 e Samsung Galaxy, a reedição da final de 2016. Numa série de apenas três jogos, a Samsung deu o troco pelo vice-campeonato e dando fim a dinastia da SKT, pelo menos por enquanto, e se sagrando campeã do torneio.

Samsung Galaxy (segunda conquista): Lee “CuVee” Seong-jin (Topo), Kang “Ambition” Chan-yong (Selva), Kang “Haru” Min-seung (Reserva/Selva), Lee “Crown” Min-ho (Meio), Park “Ruler” Jae-hyuk (ADC), Jo “CoreJJ” Yong-in (Suporte) e Choi “Edgar” Woo-beom (Coach).

SSG 2017 Rolster
Samsung Galaxy derrota a SK Telecom T1, dando fim a uma dinastia e o bicampeonato da organização. Foto: LOL Esports BR

Certamente, muita história foi escrita ao longo dos anos e, em 2018 não será diferente. Teremos pela frente um confronto inédito entre o oriente contra o ocidente, afim de escrever mais um capítulo na história dos mundiais e cravar seu nome na Summoner’s Cup. Dessa forma, encerro essa postagem em que trago todos os campeões do torneio, a evolução do campeonato com o passar dos anos e avisar que, ainda sim o e-Sports pede cada vez mais espaço no mundo.

Versão "Rise" 5.0.1 beta - Crafted with ❤ by @mattzbarbosa
© 2018. O Mestre da HQ - O seu portal de conteúdo Geek