Jessica Jones| Divulgado data de estreia para junho

O ano de 2019 começou, com a Netflix cancelando as duas últimas séries de televisão sobreviventes da Marvel, Jessica Jones e The Punisher. O nosso Justiceiro, já encerrou seu mandado na sua última temporada, mas os fãs têm esperado ansiosamente pela terceira e última saída de Jessica Jones. Agora no entanto, a espera não está tão distante assim. A última temporada de Jessica Jones está bem próxima , chegando na Netflix no mês que vem.

O anúncio foi feito em um tweet da conta NX da Netflix, mostrando a lista “new to Netflix” de junho (Batman Begins, O Cavaleiro das Trevas e Equilíbrio, e Pequenos Guerreiros estão chegando à plataforma vermelha de streaming), mas foi mencionada na parte inferior(bem embaixo, praticamente a última da lista) está a Marvel Jessica Jones: Season 3 com um “em breve” no lugar da data real , diferente das outras séries. Vejam a imagem publicado no twitter abaixo , ou acessem o link https://twitter.com/NXOnNetflix/status/1131239835321098241

Claro, o tweet não nos deixou com uma certeza da data de estreia, mas deixou nítido que será em algum momento de junho, o que deve emocionar alguns fãs. É claro que, com apenas alguns dias para o fim de maio, não houve muita promoção para a próxima temporada e é uma pena, pois já sabemos que serão os últimos 13 episódios da série.
Com isso , podemos dizer que serão episódios agitados e corridos. Depois de uma briga entre Jessica (Krysten Ritter) e Trish Walker (Rachael Taylor), essa terceira terceira temporada de Jessica Jones vai encontrar o protagonista tentando reparar relacionamentos tensos ao mesmo tempo que tenta derrubar um psicopata altamente inteligente.

A temporada também deve concluir a jornada de Jessica, como notou Ritter em uma mensagem comovente que ela postou na mídia social após a notícia do cancelamento do programa.

“Eu amo essas pessoas para a lua e de volta”, escreveu Ritter. “Tem sido um sonho interpretar a Jessica ao lado do meu elenco incrível e da melhor equipe do ramo nos últimos 5 anos. Sou muito grato a cada segundo disso. Temos os MELHORES fãs. Vocês são o mundo para mim e eu aprecio vocês além das palavras. A temporada final de #JessicaJones está chegando no final deste ano e eu estou orgulhoso de como nós completamos a jornada de JJ. Eu mal posso esperar, para que todos vocês possam ver isso. “

A terceira e última temporada de Jessica Jones vai estrear no Netflix em algum momento de junho. As duas primeiras temporadas da série aclamada pela crítica, ainda estão disponíveis no serviço de streaming .

Como vai encerrar a jornada de Jessica Jones ? Vamos esperar o mês de junho, para vermos essa conclusão.

Falcão e Soldado Invernal | Informações da série são divulgadas

O portal Deadline surgiu hoje com novas informações exclusivas sobre Falcão e Soldado Invernal, uma das novas produções da Marvel Studios para o Disney+, serviço de streaming da Disney.

Conforme o site, Kari Skogland foi contratada para dirigir os seis episódios do programa. Ela traz no currículo produções como O Conto da Aia (The Handmaid’s Tale), The AmericansHouse of Cards Justiceiro.

O Deadline também aponta que no elenco, além das presenças óbvias de Anthony Mackie (Falcão) e Sebastian Stan (Soldado Invernal), teremos também Daniel Brühl, que viveu o vilão Zemo no filme Capitão América: Guerra CivilEmily Van Camp,Agente 13 que se relacionou brevemente com Steve Rogers nos filmes do herói.

Ainda é uma incógnita o momento cronológico no qual a série se passará. Caso seja posterior a Vingadores: Ultimato, então ela certamente abordará o fato de Sam Wilson não ser mais o Falcão, e sim o novo Capitão América.

Ainda não é oficial, mas o Deadline aponta que a minissérie deverá estrear em agosto de 2020.

Fique ligado no site para mais informações!!

Netflix | 28% dos assinantes devem migrar para o Disney +

Uma pesquisa feita pelo site The Hollywood Reporter, informa que a gigante empresa do ramo de entretenimento, Netflix, pode perder 28% de seus seguidores após o lançamento do serviço de streaming Disney+.

Segundo a averiguação feita pelo HR, um terço do público que consome a Netflix, está desapontado devido a retirada dos filmes da Marvel Studios e da Lucasfilm de seu catálogo.

Atualmente, a Walt Disney Studios já possui um serviço de streaming, o HULU. Nele, os conteúdos produzidos são voltados para todas as idades, que vão desde o público jovem até os adultos. Contudo, o Disney+ terá como centro das atenções, a família; visto que não terá produções para maiores de idade. Entretanto, haverá séries e filmes com palavrões, violência e nudez implícita, mas em menos quantidade.

Fique ligado no site para mais informações!

The Flash – 5° Temporada | A série ainda consegue continuar? [REVIEW]

The Flash ganhou sua 1° temporada em 2014. Imediatamente ela fez um grande sucesso e foi renovada para a 2° temporada, que se concretizou como a melhor da série. Porém, infelizmente, após isso a série teve uma queda de qualidade tremenda. Atualmente, a 5° temporada foi concluída e não é nenhum exagero dizer que é a pior temporada da série inteira. Mas a grande questão que fica no ar é: a série ainda tem forças para continuar?

A temporada começa no momento exato em que a 4° terminou. Nora Allen, a filha de Barry e Iris, se apresenta para eles e daí as confusões começam a aparecer. Ela veio com o propósito de evitar o desaparecimento do Flash na Crise, que seria em 2024; e descobrimos também que ela trabalha com Eobard Thawne.

A atriz que interpreta Nora, Jessica Parker Kennedy, por muitas vezes parece forçar sua atuação. Ela é uma boa atriz, mas as vezes não convence como Nora. Além disso, a personagem consegue ser extremamente chata na maioria das vezes e mais atrapalha do que ajuda… mas isso é culpa do roteiro.

 

Protagonistas

Grant Gustin continua sendo um dos melhores atores da série, principalmente em cenas dramáticas. Infelizmente, isso por si só não ajuda o ator, já que o roteiro deixa o protagonista um tanto quanto limitado.

Inimigos que ele poderia derrotar facilmente com um golpe acabam sendo derrotados em um episódio inteiro. Episódios que poderiam ser usados para outras coisas, como desenvolvimento de personagens por exemplo; e ainda temos o fato de já terem se passados 5 anos na série e Barry continuar dependendo de discursos motivacionais… São coisas que incomodam muito.

Iris é facilmente a personagem mais forçada e chata da série inteira: toma algumas decisões erradas, está sempre se metendo em coisas que não precisam dela e a personagem sempre acha que pode fazer mais do que ela realmente consegue. Isso não seria ruim se os roteiristas não fizessem com que ela realizasse esses feitos extremamente impossíveis para ela. Obviamente, a culpa não é da atriz Candice Patton, que é muito talentosa e atua muito bem. Nesse caso, mais uma vez, o roteiro tende a atrapalhar.

Cisco e Caitlin foram personagens que vieram perdendo o peso que tinham no inicio da série — principalmente o querido Cisco. Enquanto Caitlin teve um pequeno arco na temporada, envolvendo o seu passado como Nevasca e o seu relacionamento com o seu pai e com a sua mãe, Cisco se limitou a apenas conseguir um novo relacionamento, a conseguir fazer a cura para os meta humanos e a quase perder os seus poderes em um plano que poderia facilmente ter sido diferente. Não é a toa que o personagem escolheu tomar a cura e abandonar os seus poderes, e pelo que temos notado, o personagem dificilmente deverá voltar como regular na próxima temporada. Isso é uma pena, já que Cisco saiu da posição de um dos melhores personagens da série para um mero coadjuvante.

 

Mais personagens

Ralph Dibny é… Ralph Dibny, o personagem está ali apenas para ser o alivio cômico nos episódios. Quase não há desenvolvimento, exceto em alguns momentos onde ele “liga” o seu lado detetive, algo que foi interessante de se ver na temporada e que com certeza pode ser explorado na próxima. A atuação de Hartley Sawyer funciona e é muito engraçada.

Agora, temos o principal problema da temporada, o vilão Cicada — ou devo dizer, Os Cicadas.

O primeiro Cicada foi interpretado pelo ator Chris Klein, que na maioria dos episódios em que aparece nos dá uma atuação sofrível e muito forçada em alguns momentos. O vilão não passa ameaça alguma e a sua motivação é extremamente fraca e ridícula: mais uma vez, o roteiro não ajuda e transforma um inimigo que poderia ser bom em uma piada completa.

O antagonista em vários episódios poderia ter sido derrotado facilmente, mas aí aparece o grande vilão da série novamente… o roteiro. E ele ainda alonga sua derrota por mais um episódio.

Na segunda metade da temporada temos a personagem Grace, que é nada mais, nada menos do que a sobrinha do vilão Cicada. Em determinado momento, Cicada ll aparece e descobrimos que trata-se da Grace que veio do futuro. Logo após salvar o seu tio no presente, ela o mata quando, em um momento desesperador de redenção, ele tenta impedi-la de matar o Flash. Ela foi interpretada pela atriz Sarah Carter que, assim como o ator Chris Klein, atua terrivelmente mal e em vários momentos de forma forçada. Neste caso, eu realmente não culpo o roteiro porque nada poderia mudar o fracasso que é a personagem. Ela, assim como Cicada l, não passa nenhuma ameaça e poderia ter sido derrotada já no 1° episódio em que aparece.

Houve algo positivo na temporada: o ator Tom Cavanagh, que se consagrou como o melhor ator da série, leva por várias vezes alguns episódios nas costas.

Nessa fase, ele interpretou outra versão de Harrison Wells: trata-se de Sherloque Wells, um personagem extremamente inteligente e que funciona com o plot da temporada. Além disso, ele interpretou novamente Eobard Thawne — o Flash Reverso, que confirmou na temporada o porquê de o vilão ser o melhor da série.

Eobard funciona quando precisa e Tom se consagra como o rosto oficial do personagem… a menos que o roteiro queira mudar isso (e eu espero que realmente não mude).

O CGI as vezes é bom, e às vezes é terrível, mas como The Flash é uma série de TV e tem um orçamento limitado, é um nível de trabalho que pode ser aceito.

The Flash conseguiu milagrosamente chegar na 6° temporada e agora, infelizmente, só os fãs estão mais atentos. Acredito que eles não aceitarão qualquer coisa que seja jogada na tela. The Flash ainda é uma série que pode ter alguma redenção, assim como Arrow teve.

 

Comparações

O grande problema na comparação é que Arrow teve uma temporada mediana e uma temporada horrível, enquanto The Flash vem da sequência de uma temporada fraca, uma temporada ruim e essa temporada, que foi a pior da série. Se os produtores não abrirem o olho, a série vai continuar andando em direção ao abismo e nesse momento, eu fico triste.

Triste por ver uma série com um potencial gigantesco ser jogada no lixo — afinal, estamos falando do Flash, um dos grandes heróis da DC. Mas eu também penso que, no momento e para o bem do personagem, o cancelamento seria o ideal… a menos que a série consiga dar a volta por cima.

A série funcionaria melhor se tivesse menos episódios (quem sabe 10, 13 ou 15, sendo 13 seria a escolha perfeita); ou, a série poderia ter mais de um plot principal na temporada: um deles na primeira metade da temporada, e o outro no retorno do hiato que ocorre em todo final de ano.

Em diversos momentos na temporada 3 eu pensei em desistir de acompanhar a série, porque a qualidade da mesma estava ruim. Mas, em respeito à você, eu não o fiz. Infelizmente, se a mesma coisa voltar a acontecer na próxima season, eu já adiantarei para você um pedido de desculpas,  já que, se a próxima temporada estiver no mesmo nível dessa, ela com certeza vai perder um fã.

Nota: 3,5/10.

Arrow – 7° Temporada | O fim chegou [REVIEW]

Quando o assunto é Arrow, com certeza surgem algumas polêmicas, a série viveu de altos e baixos durante essas 7 temporadas e nesse ano ela chegará ao fim com a sua 8° temporada, apesar de ainda ter mais uma temporada vindo por aí com apenas 10 episódios, a 7° temporada encerrou a série e a 8° temporada vai focar no grande crossover que será a adaptação de ‘Crise nas Infinitas Terras’, será que Arrow teve um fim digno?

ALERTA DE SPOILERS!

Eu sempre fui um defensor de Arrow, critiquei quando precisava e elogiei quando merecia, Arrow definitivamente divide o público entre os que amam a série e os que odeiam e apesar disso ser um pouco positivo, também cega algumas pessoas.

A 7° temporada foi uma temporada boa, melhor que a 3°, 4° e 6° temporada, porém, ela ficou devendo em alguns aspectos e eu vou tentar explicar aqui o que aconteceu.

A temporada começa com Oliver Queen preso, o personagem se entregou e se revelou como o Arqueiro Verde no final da 6° temporada e isso realmente causou consequências, tanto para ele, quanto para a sua família, Felicity e William sofreram bastante, principalmente o filho de Oliver, que teve que ir embora do país e que um certo tempo depois na temporada, foi embora para morar com os avós, essa 1° metade da temporada é a melhor dessa temporada e muito provavelmente, o melhor inicio de temporada da série inteira, mas teve algumas falhas.

Diggle foi um personagem que sofreu na temporada inteira, não por causa do que acontece com ele e sim porque o personagem foi completamente apagado nessa temporada, apesar de aparecer bem mais na 2° metade da temporada, todo o plot do personagem é chato e um tanto quanto desnecessário.

Um personagem que desde a 5° temporada foi me dando nos nervos foi Curtis, o personagem sempre foi sem graça, nunca fazia nada de muito significativo, mas que deu o chip para a coluna da Felicity, então, ponto pra ele, mas que quando finalmente saiu da série, ninguém sentiu falta.

Rene foi um personagem que cresceu e que teve uma importância maior na temporada, principalmente com o novo Arqueiro Verde que é um dos pontos que eu gostaria de chegar.

Descobrimos no decorrer da temporada que Emiko, a irmã de Oliver está usando o manto do irmão e que assim como ele no inicio, está em uma vingança pessoal contra as pessoas que mataram sua mãe e após isso tudo se desenvolver mais ainda, descobrimos que Emiko está trabalhando com o inimigo e ela é a vilã da temporada e devo dizer que é a pior vilã da série inteira, da galeria de vilões da série, a personagem consegue ficar na frente de Damien Darkh, o vilão da 4° temporada da série, Emiko como vilã não funciona, apesar de ter uma motivação aceitável, ela é um tanto quanto forçada em alguns momentos e no final de tudo, ela acaba se redimindo e mudando de lado, morrendo no processo e dizendo que ela sempre quis ser uma “Queen”, indo contra o que ela sempre disse na temporada inteira.

Um ponto positivo na temporada foram os ‘flashfowards’, que são como flashbacks, mas no futuro, ao invés do passado.

Os flashfowards expandem o universo de Arrow ainda mais e começa a desenvolver toda uma história em 2040, com William, o filho de Oliver, Dinah, Roy e Mia, a filha de Oliver com a Felicity, o plot no futuro funciona, apesar de as vezes ser um pouco lento e meio clichê, mas que com certeza nos deixa curiosos para saber o que vai acontecer com os personagens no futuro, inclusive com a Felicity, que aparece no futuro.

Talvez o principal ponto negativo da temporada foi Oliver trabalhando com a policia, andando nas ruas sem o seu capuz e sua máscara, tudo bem que ele não precisava, mas meio que perde um pouco da graça toda.

As coreografias das lutas estão melhores, Stephen Amell está atuando melhor desde a 5° temporada e sim, apesar desses pontos, a temporada conseguiu encerrar a série de uma maneira digna e bem emotiva.

Uma das cenas finais da temporada é quando Felicity, Oliver e Diggle estão dentro do bunker, eles conversam um pouco e depois Felicity e Diggle saem do bunker, deixando Oliver sozinho enquanto tudo vai se desligando até ficar tudo escuro, o casal se aposenta e vai morar em uma casa afastada de tudo, para poder criar a sua filha, Mia, que foi uma das principais protagonistas nos flashfowards.

Mas sabemos que em Arrow nada é fácil e se tudo estiver bem, desconfie e dito e feito, o Monitor aparece na casa deles para cobrar Oliver do favor que ele pediu para Barry e Kara não morrerem, o Monitor revela que Oliver vai morrer durante a Crise e toda uma cena emotiva acontece, com Oliver se despedindo da filha e de sua esposa, afinal, é a última vez que ele vai ver as duas.

Com isso, a série encerra em 2040 com o Monitor levando a Felicity para algum lugar que não foi deixado claro ainda para nós e após isso, o episódio termina encerrando de vez o arco da Felicity.

Apesar desses altos e baixos na temporada e na série em si, Arrow começou com tudo e é com ela que vai terminar, o Arrowverse vai seguir, mas infelizmente Oliver vai ficar pelo caminho, mesmo sendo triste, é algo positivo, já que a série não se sustentaria por muito mais tempo, agora, resta esperar a última temporada que contará com menos episódios e podem ter certeza que lágrimas vão rolar.

Nota: 7/10.

Riverdale – 3° Temporada | A melhor temporada da série [REVIEW]

Riverdale é indiscutivelmente uma série de sucesso, tanto de público, quanto de críticas e a 3° temporada provou isso.

ALERTA DE SPOILERS!

A temporada começou com alguns mistérios para serem desvendados e alguns que foram surgindo, os principais foram o Rei Gárgula e a Fazenda e nessa season finale, as coisas ficaram um pouco mais claras.

Penélope Blossom, a mãe de Cheryl Blossom é a grande vilã desde a 2° temporada, ela deu o pontapé inicial em Hall Cooper para ele se tornar no Gorro Negro, começou com o jogo ‘Grifos e Gárgulas’ no passado e continuou com ele nessa 3° temporada para tentar matar os nossos protagonistas, uma reviravolta que muitas pessoas não estavam esperando.

Descobrimos também que Alice Cooper, a mãe de Betty Cooper estava infiltrada na Fazenda e não vivendo lá por vontade própria, ela estava/está trabalhando com o FBI e com seu filho Charles, que é um agente do FBI e que até então estava morto, mais uma vez, ninguém esperava essa reviravolta.

Algo que ficou em aberto foi como ficará o personagem Fred Andrews, que era interpretado por Luke Perry, infelizmente o ator faleceu e aparentemente o personagem não será interpretado por outro ator, resta saber agora o que vai acontecer ao personagem.

Um personagem que ficou um pouco apagado na 2° metade da temporada foi Archie Andrews, o personagem teve uma relevância a mais no inicio da temporada e quase morreu por causa de um urso, felizmente o personagem sobreviveu e agora é dono de uma academia de boxe em Riverdale, com certeza vamos ouvir falar mais dela na 4° temporada.

Veronica Lodge teve um pequeno arco na temporada envolvendo seu Inferninho e uma pequena batalha interna contra o seu pai, Hiram Lodge, a personagem sem dúvida nenhuma cresceu bastante durante a temporada e demonstrou extrema frieza quando ela ajudou o FBI a prender o seu pai novamente, quanto a sua mãe, Hermione Lodge, descobrimos coisas muito feias sobre a personagem, comprovando que ela não é essa pessoa inocente que todos pensavam que ela fosse e então, ela acabou sendo presa, graças a Hiram Lodge que apesar de estar preso, ainda tem muito poder dentro e fora da cadeia.

Betty foi a personagem que mais sofreu durante a temporada, com perdas e decepções, ela viu seu pai ser morto na sua frente e na mesma noite, sua mãe e irmã sumiram e aparentemente não veremos elas tão cedo, mas uma das coisas mais intrigantes sobre a personagem que com certeza será mais explorado na próxima temporada é a sua psicopatia, afinal de contas, ela é filha de um dos maiores psicopatas da cidade de Riverdale e com certeza a Betty sabe que ela tem um lado sombrio, espero que isso com certeza seja explorado na próxima temporada.

Jughead Jones foi o personagem que ficou mais apagado na temporada, ele teve os seus momentos, descobriu quem estava vestindo o manto de Rei Gárgula no último episódio, seu lado detetive cresceu bastante durante a temporada, mas o personagem com certeza ficou apagado por conta do arco montado durante toda a temporada e com o gancho deixado para a 4° temporada, os fãs vão sofrer mais um pouquinho com o personagem.

Eu poderia falar sobre o GRANDE gancho deixado para a próxima temporada, mas eu recomendo que vocês assistam o episódio e vejam por vocês mesmos.

Alguns personagens secundários tiveram uma pequena evolução, o principal foi FP Jones, que saiu de líder dos Serpentes para ser Xerife em Riverdale, tivemos a introdução de Jellybean, a irmã de Jughead e de Gladys, a mãe de Jughead que causou alguns problemas na cidade e que já foi embora, porém, é certo que ainda veremos a personagem na próxima temporada.

Apesar de alguns episódios fraquíssimos e personagens chatos que com certeza poderiam render mais, que é o caso da Cheryl, a temporada é ótima, o plot deixa o telespectador preso assistindo, as atuações são muito boas e com certeza, o gancho no final me deixou ainda mais ansioso pela próxima temporada.

Nota: 8,5/10. 

Exterminador | Personagem ganhará série animada

O Exterminador está chegando à plataforma Digital CW Seed. Durante a apresentação antecipada da CW, o presidente da rede, Mark Pedowitz, apresentou duas séries para a CW Seed, a série animada do Exterminador, focada no anti-herói da DC, e The Pledge , que vem dos produtores da franquia Saw.

Não temos muitas informações sobre a série, mas fique ligados no site para mais informações!!

Rick e Morty | Data de estreia da 4° temporada é divulgada

Rick e Morty é uma das séries mais famosas da atualidade conquistando uma legião de fãs em pouquíssimo tempo, tornando-se referência para o público nerd.

Depois de três temporadas e uma espera de mais de um ano, o canal Adult Swim finalmente divulgou a data de estreia da próxima temporada com um vídeo. Durante o WarnerMedia’s 2019, os protagonistas da série surgiram para avisar os fãs sobre a tão esperada data. Veja:

Fique ligado no site para mais informações!