De Volta ao Lar | Uma Ode a Steve Ditko

Apesar de muitos conhecerem Stan Lee – e esperar por seus cameos nos filmes da Marvel – alguns quadrinistas não são tão familiares aos olhos do público leigo aos quadrinhos. E um desses artistas grandiosos, é o recluso e introvertido Stephen J. Ditko – ou apenas Steve Ditko – O outro pai do Homem-Aranha, e talvez, o maior.

Em um dos poucos e raros relatos, Ditko descreveu suas contribuições, e as de Lee, em uma entrevista por correio publicada no Comic Fan #2 (1965): “Stan Lee pensou no nome. Eu fiz a fantasia, disparador de teia no pulso e o sinal aranha”. E assim, em Agosto de 1962, na edição #15 de Amazing Fantasy – a última edição – foi apresentado pela primeira vez o nosso herói Aracnídeo. Sendo um sucesso de venda e ganhando sua própria série, The Amazing Spider-Man.

A partir daí, o jovem Peter Parker, se tornou um ícone das Histórias em Quadrinhos e da Cultura Pop, chegando ao filme mais recém lançado, Homem Aranha: De Volta ao Lar. E é nesse filme que aquele herói criado por Steve Ditko entra. Deixando de lado toda tecnologia e modernidade que o filme possui e em meio a tantas homenagens e referências – Clube dos Cinco, Curtindo a Vida Adoidado e aos antigos filmes do Homem-Aranha – a principal fonte de influência para esse novo filme, é Steve Ditko. O filme não tem a pretensão de ser o maior filme de super-herói, mas propõe-se a ser igual uma excelente leitura de um quadrinho do Amigão da Vizinhança. E possui todo aquele cuidado que Ditko tinha com as histórias; as cenas do herói fluem como uma página de HQ – até mesmo alguns ângulos filmados lembram quadros de um gibi – e tornam esse Homem-Aranha uma reverência ao seu “pai”.

O uniforme, criado pela figurinista Judianna Makovsky, é uma releitura do clássico criado por Ditko. A pequena aranha no centro, os cartuchos de fluido de teia na cintura, as “asas” de teia, são apenas detalhes que deixam Tom Holland com o mesmo visual exatamente pensado por Steve Ditko. Vale mencionar também, a pequena referência na jaqueta do vilão Abutre. E agora chegamos onde queriamos chegar. A princpal homenagem dentro do filme.

 

CONTÉM SPOILER A SEGUIR, então se você ainda não assistiu, corra para o cinema!

 

No terceiro ato do filme, Adrian Toomes (Michael Keaton) – depois de ameaçar Peter na entrada do baile – se prepara para roubar o avião que irá transportar o resto do material da Torre, para a Mansão dos Vingadores. Peter, apesar da ameaça, não pode simplesmente ignorar o que o vilão vai fazer, e parte para deter o Abutre. Em uma das melhores cenas do filme, depois de um diálogo entre Peter e Adrian – e uma referência bem feita ao primeiro filme de Tobey Maguire na pele do Aranha – o jovem herói é preso embaixo de toneladas de escombros. Um fã que acompanha os quadrinhos do Cabeça de Teia, sabe que essa cena não é desconhecida. Em uma das mais célebres histórias desenhada por Ditko, a edição #33 de The Amazing Spider-Man (Fevereiro de 1966), a terceira parte da história “If This Be My Destiny…!”, também conhecida como Capítulo Final, é apresentado a cena dramática do Homem-Aranha, que através da sua força de vontade e pensamentos em Tio Ben e Tia May, consegue levantar os escombros e se salvar.

“Steve Ditko espreme cada gota de angústia do Homem-Aranha, completo com visões do tio com quem ele falhou e a tia que jurou salvar”, observou o historiador de quadrinhos Les Daniels. Já Peter David (escritor e historiador) diz que esta sequência de duas páginas de The Amazing Spider-Man #33, é talvez a sequência mais adorada da era Lee-Ditko.

Esta cena se repetiu com maestria em De Volta ao Lar! As motivações que o ajudam são um pouco diferentes – tendo no filme, se lembrado de Tony Stark – mas a sensação e execução da cena, acontece da mesma forma que o desenho de Ditko. E contou com a brilhante atuação de Tom Holland, que conseguiu transmitir toda a emoção que a cena precisava. E no pequeno grito de guerra de “Vai, Homem-Aranha!”, levantou,  junto aos escombros, todos espectadores e fãs de longa data do Teioso e certamente deve ter feito o idoso Steve Ditko – se ele assistiu ao filme – muito orgulhoso!

“Para os fãs do Homem-Aranha, esse é um dos momentos favoritos e uma das melhores artes de Steve Ditko”, comentou o diretor Jon Watts a uma entrevista recente ao ComicBook. E Kevin Feige completou: “É algo que eu queria ver há muito tempo. Ver o que o Tom Holland fez foi incrível”. Com certeza, assim como a edição #33, essa cena ficará na memória dos fãs, como uma das melhores cenas dos filmes do Homem-Aranha e uma homenagem, mais do que merecida, ao maior pai do Aracnídeo da vizinhança, Steve Ditko.