Clube da Luta 2, a HQ sequencial da grande obra

Todos conhecem (ou já ouviram falar sobre) o fenômeno Clube da Luta de Chuck Palaniuhk que originou a febre cult. Filme dirigido por David Fincher e atuado por Edward NortonBrad Pitt e Helena Boham Carter. Filme de 1999, que na época foi considerado um fracasso pelos críticos e depois com a venda dos Dvds foi um sucesso.
Temos depois, o autor do livro Clube da Luta (1996) resolveu fazer uma continuação da trama em 2016 e inspirado nas 8 famosas regras citarei minha opinião em 8 motivos de porque é válido ler, mas desde que não espere algo tão grandioso quanto a obra de origem.

 

 

1.  A primeira regra do Clube da luta é você não faz continuação do Clube da luta.

2 . A segunda regra do Clube da luta é você não faz continuação em quadrinhos do Clube da luta porque não há necessidade.

A história termina bem e não se precisava existir uma continuação.
3. Quando alguém disser que a continuação é melhor que a obra-prima original não acredite. Essa pessoa provavelmente deve ser algum membro do projeto Destruição ordenada por Tyler Durden a dizer isso. Não é de forma alguma tão boa quanto.
Bem inferior aos maravilhosos livros e filmes.
Não é ruim, mas está longe de ser excelente e memorável como o clássico, é apenas mediano e uma boa leitura. Ainda mais por ser desnecessária esta continuação. Talvez devido a admiração pelo autor, pela expectativa pela obra que me inspira e muito. Chuck não decepciona a ponto de criar algo deplorável, mas também não arrebata como no original, a história parece uma paródia ou uma fanfic de si mesma.
4. Apenas leia se tiver lido o livro ou assistido ao filme. Porque é uma continuação do livro que tem um final diferente (o final do filme é melhor).
5. Apenas leia se tiver mente aberta porque Chuck Palahniuk muda muita coisa e acrescenta coisas que fazem a cabeça explodir (no bom e mal sentido, dependendo do como você encarará o que será feito).
Diferente do primeiro livro que a narrativa é em primeira pessoa, na HQ é em terceira o que perde-se a imersão com o protagonista que agora tem nome, Sebastian (gostava mais quando não tinha nome).
A história só funciona se você tiver suspensão de descrença porque o que era crível do primeiro ganhar ares metafísicos e subjetivos. Tem muita coragem no roteiro, Chuck continua a provocar com seu humor escatológico, ácido, ironia e sarcasmo característicos, mas há também muita viagem (no sentido de exagero do roteiro), muita coisa que incomodará a quem é fã devido a descaracterização de ideias e personagens.
O fato de ser em HQ foi algo maneiro e bem escolhido porque a arte de Cameron Stewart é ótima. Desenhista talentoso.
As cores vivas e fortes dão um ar bem bonito junto com as ilustrações bem feitas do artista. E por ser em HQ dá dinamismo a obra com os quadros e páginas que são pequenas obras de arte se observá-las detalhe por detalhe.
6. Os personagens tomam rumos diferentes e tem uma grande participação da Marla, tanto quanto do Tyler que está mais atuante do que nunca. Além de novos personagens, elementos e referências ao filme e ao livro, a Bíblia e uma porrada de coisas. A cada página tem citações, desenhos, easter eggs que revivem a obra original inclusive nas famosas e icônicas frases.
7. A leitura de Clube da Luta 2 deve ser feita sem expectativas, porque a decepção pode te atingir como socos ou como Napalm.
8. Se você nunca leu ou assistiu Clube da Luta,  recomendo que leia esta obra-prima literária e cinematográfica cult que inspirou nada mais, nada menos que Mr. Robot.
Clube da luta, independente de sua sequência deixar a desejar em alguns pontos, é um clássico de contra cultura indispensável a quem gosta de histórias ágeis, bem escritas e sem medo de ficar na zona de conforto.