Depois de 20 anos, o nostálgico Tamagotchi ganha uma nova versão

 

Àqueles que nasceram ou foram crianças por meados da década de 90, uma ótima notícia por parte da empresa de brinquedos japonesa Bandai: o Tamagotchi, famoso “bichinho virtual” que fez sucesso no Brasil há mais de 20 anos, está de volta.

Quem, hoje, está na casa dos 25 a 30 anos de idade (ou até mesmo menos), vai se lembrar muito bem da época em que um pequeno aparelho que cabia na palma da mão fez a cabeça da garotada e virou febre entre crianças de todas as idades, lá por volta de 1996, razão pela qual muitos perdiam horas com a cara enfiada num aparelhinho simples, cuidando de uma espécie de “vida” digital. Para os que não conhecem, o Tamagotchi tratava-se de um aparelho de bolso, pouco menor que uma GoPro, com apenas três botões, por onde era possível chocar um ovo que daria vida a uma de seis criaturas aleatórias, as quais teriam de ser cuidadas desde o nascimento à inevitável morte, dando banhos, limpando a sujeira, alimentando e até cuidando da saúde dos bichinhos, que ficavam constantemente doentes, caso houvesse uma certa negligência por parte dos “pais”.

A geração do pet virtual é nova, mas todas as funções – e até mesmo similaridades de design – estão lá, assim como eram na época da infância, com a diferença de que o gadget teve seu tamanho ligeiramente reduzido, porém mantendo o visual pixelado e retrô, exibido pela pequena tela simples de LCD. Se você beira os 30 anos e já teve um desses – que, na época, custavam uma pequena fortuna, ou uma mesada inteira -, já deve estar todo animado com a notícia.

Entretanto, pode tirar o cavalinho da chuva: o aparelho, no momento, teve seu relançamento apenas no Japão, mas seu sucesso no país já é tão grande, que uma promissora possibilidade de o brinquedo desembarcar em terras tupiniquins é bastante animadora. O Tamagotchi, no japão, sai por 2.000 ienes, algo em torno de R$ 58 (sem contar impostos), e pode ser encontrado no site da Amazon do Japão. Já para nós, réles BRs, resta apenas o gostinho doce de memórias do passado e o saudosismo de ver aquele ovinho chocar e virar uma pequena vida virtual, que cabia na palma da mão e, geralmente, não passava da primeira semana de vida.

A equipe da OMDHQ entrou em contato com a Bandai em busca de respostas sobre o possível lançamento do brinquedo no país, mas, até agora, não obteve respostas.