De Volta ao Lar | Uma Ode a Steve Ditko

Apesar de muitos conhecerem Stan Lee – e esperar por seus cameos nos filmes da Marvel – alguns quadrinistas não são tão familiares aos olhos do público leigo aos quadrinhos. E um desses artistas grandiosos, é o recluso e introvertido Stephen J. Ditko – ou apenas Steve Ditko – O outro pai do Homem-Aranha, e talvez, o maior.

Em um dos poucos e raros relatos, Ditko descreveu suas contribuições, e as de Lee, em uma entrevista por correio publicada no Comic Fan #2 (1965): “Stan Lee pensou no nome. Eu fiz a fantasia, disparador de teia no pulso e o sinal aranha”. E assim, em Agosto de 1962, na edição #15 de Amazing Fantasy – a última edição – foi apresentado pela primeira vez o nosso herói Aracnídeo. Sendo um sucesso de venda e ganhando sua própria série, The Amazing Spider-Man.

A partir daí, o jovem Peter Parker, se tornou um ícone das Histórias em Quadrinhos e da Cultura Pop, chegando ao filme mais recém lançado, Homem Aranha: De Volta ao Lar. E é nesse filme que aquele herói criado por Steve Ditko entra. Deixando de lado toda tecnologia e modernidade que o filme possui e em meio a tantas homenagens e referências – Clube dos Cinco, Curtindo a Vida Adoidado e aos antigos filmes do Homem-Aranha – a principal fonte de influência para esse novo filme, é Steve Ditko. O filme não tem a pretensão de ser o maior filme de super-herói, mas propõe-se a ser igual uma excelente leitura de um quadrinho do Amigão da Vizinhança. E possui todo aquele cuidado que Ditko tinha com as histórias; as cenas do herói fluem como uma página de HQ – até mesmo alguns ângulos filmados lembram quadros de um gibi – e tornam esse Homem-Aranha uma reverência ao seu “pai”.

O uniforme, criado pela figurinista Judianna Makovsky, é uma releitura do clássico criado por Ditko. A pequena aranha no centro, os cartuchos de fluido de teia na cintura, as “asas” de teia, são apenas detalhes que deixam Tom Holland com o mesmo visual exatamente pensado por Steve Ditko. Vale mencionar também, a pequena referência na jaqueta do vilão Abutre. E agora chegamos onde queriamos chegar. A princpal homenagem dentro do filme.

 

CONTÉM SPOILER A SEGUIR, então se você ainda não assistiu, corra para o cinema!

 

No terceiro ato do filme, Adrian Toomes (Michael Keaton) – depois de ameaçar Peter na entrada do baile – se prepara para roubar o avião que irá transportar o resto do material da Torre, para a Mansão dos Vingadores. Peter, apesar da ameaça, não pode simplesmente ignorar o que o vilão vai fazer, e parte para deter o Abutre. Em uma das melhores cenas do filme, depois de um diálogo entre Peter e Adrian – e uma referência bem feita ao primeiro filme de Tobey Maguire na pele do Aranha – o jovem herói é preso embaixo de toneladas de escombros. Um fã que acompanha os quadrinhos do Cabeça de Teia, sabe que essa cena não é desconhecida. Em uma das mais célebres histórias desenhada por Ditko, a edição #33 de The Amazing Spider-Man (Fevereiro de 1966), a terceira parte da história “If This Be My Destiny…!”, também conhecida como Capítulo Final, é apresentado a cena dramática do Homem-Aranha, que através da sua força de vontade e pensamentos em Tio Ben e Tia May, consegue levantar os escombros e se salvar.

“Steve Ditko espreme cada gota de angústia do Homem-Aranha, completo com visões do tio com quem ele falhou e a tia que jurou salvar”, observou o historiador de quadrinhos Les Daniels. Já Peter David (escritor e historiador) diz que esta sequência de duas páginas de The Amazing Spider-Man #33, é talvez a sequência mais adorada da era Lee-Ditko.

Esta cena se repetiu com maestria em De Volta ao Lar! As motivações que o ajudam são um pouco diferentes – tendo no filme, se lembrado de Tony Stark – mas a sensação e execução da cena, acontece da mesma forma que o desenho de Ditko. E contou com a brilhante atuação de Tom Holland, que conseguiu transmitir toda a emoção que a cena precisava. E no pequeno grito de guerra de “Vai, Homem-Aranha!”, levantou,  junto aos escombros, todos espectadores e fãs de longa data do Teioso e certamente deve ter feito o idoso Steve Ditko – se ele assistiu ao filme – muito orgulhoso!

“Para os fãs do Homem-Aranha, esse é um dos momentos favoritos e uma das melhores artes de Steve Ditko”, comentou o diretor Jon Watts a uma entrevista recente ao ComicBook. E Kevin Feige completou: “É algo que eu queria ver há muito tempo. Ver o que o Tom Holland fez foi incrível”. Com certeza, assim como a edição #33, essa cena ficará na memória dos fãs, como uma das melhores cenas dos filmes do Homem-Aranha e uma homenagem, mais do que merecida, ao maior pai do Aracnídeo da vizinhança, Steve Ditko.

O Novo Velho Peter Parker

Depois de dois anos do anúncio de que o Homem-Aranha voltaria para a Marvel – em uma parceria com a Sony – o seu primeiro filme solo na Casa das Ideias foi lançado: HOMEM-ARANHA: DE VOLTA AO LAR, que já é sucesso de crítica.

O nome diz duas coisas: representa a volta do personagem à Marvel e o tradicional baile que acontece nas escolas do Ensino Médio nos Estados Unidos, chamado Homecoming (o nome do filme em inglês). Esse filme traz um Peter moderno, para nosso mundo atual, completamente diferente daquele ao qual foi criado (nos anos 60). Mas ao mesmo tempo que ele se moderniza, com trajes tecnológicos, drones e YouTube, ele mantém a mesma essência daquele super-herói que todos amam. O senso de humor, a timidez e a inteligência, estão todos presentes nessa nova abordagem feita pela belissíma atuação de Tom Holland.

 

Elementos explorados pela primeira vez

Em dez anos vimos duas vezes Peter ser picado pela aranha e Tio Ben morrer, no cinema. Era hora de novos elementos. A escola é um dos elementos importantes nos quadrinhos do Homem-Aranha e agora um dos principais pontos desse novo filme. Completando 55 anos no próximo mês e tendo 5 grandes filmes, Homem-Aranha: De Volta ao Lar é o primeiro filme a usar a escola como um “personagem”. Na trilogia de Sam Raimi vemos uma simples participação da escola na vida de Peter e nos 2 filmes de Marc Webb vemos um pouco mais do garoto no Ensino Médio. Mas nenhum deles mostram algo de importante na vida escolar de Peter. Em De Volta ao Lar, as obrigações de Peter com a escola tem certas influências na história do filme, como o dilema de combater um vilão ou estudar para uma prova e é palco quase principal do filme. A escola é algo recorrente nos quadrinhos do herói – ele criança ou adulto – afinal, ele é apenas um garoto de 15 anos quando se torna o Amigão da Vizinhança.

O vilão, ABUTRE (Michael Keaton). Depois de dois Duendes Verdes, Dr. Octopus, Venom, Homem-Areia, Lagarto e Electro, um novo vilão viria aparecer, Adrian Toomes, o Abutre. Nos quadrinhos, Adrian é um senhor de idade que rouba bancos com seu traje de voo. Nunca foi um dos melhores vilões da vasta galeria do Homem-Aranha, mas deram a ele no filme, um visual moderno, uma boa motivação e ele surpreendentemente se transformou em um dos melhores vilões do Universo Cinematográfico Marvel. Com Michael Keaton mostrando o grande ator que é, e com uma ótima química com Tom Holland. Uma adição excelente ao filme.

E talvez o que a maioria esperava: a interação de Peter com o restante do UCM, como nunca havia acontecido nas telonas. E essa interação foi representada pela presença de Tony Stark (Robert Downey Jr) – e algumas participações – claro, o Homem-Aranha já havia aparecido ano passado em Capitão América: Guerra Civil, mas foi apenas uma pequena participação, agora foi a vez de consolidá-lo no UCM. Em meio a diversas menções ao universo já estabelecido, Tony aparece algumas vezes para fazer o papel de mentor de Peter, que ainda está aprendendo a ser um herói.

 

O Espetacular Cabeça de Teia

Devemos falar de Tom Holland, esse jovem e carismático ator que para muitos já é o melhor Homem-Aranha dos cinemas; e com toda certeza ele abraçou o personagem, o entendeu e nos entregou um Peter Parker perfeito. Por essas e outras razões alguns já dizem que De Volta ao Lar é o melhor filme do herói Aracnídeo – já outros preferem Homem-Aranha 2, que continua sendo uma das melhores adaptações de quadrinhos – contudo, é inegável que esse novo filme seja aquele que todos fãs de quadrinhos esperavam. O filme que mostrasse o jovem Peter Parker, na escola, assim como ele começou lá em Agosto de 1962, com Stan Lee e Steve Ditko.

Apesar de moderno, o novo Homem-Aranha traz fidelidade ao material de origem. O seu uniforme, mesmo que tecnológico, traz elementos tirados direto das ilustrações de Ditko; como a aranha gordinha nas costas e as “asas” de teia. E pela primeira vez – em seu filme solo – o Homem-Aranha possui expressões nos olhos, assim como nos quadrinhos, o que da uma dinâmica diferente para o herói.

Já depois de quase 6 décadas e várias gerações, esse novo filme traz o novo velho Peter Parker de volta ao lar, para interagir com outros heróis e provar – mais uma vez – porque O Espetacular Homem-Aranha é o maior super-herói da Marvel.