La Casa de Papel | Data de estreia da 2° temporada já está entre nós.

Olá pessoas!
Essa é para você que viu ”La casa de Papel”, ou estava pensando em ver, mas está traumatizado com o tempo que a Netflix demora para atualizar suas séries …

A Netflix liberou a data de estréia da 2° temporada : 6° de abril.

Obs: Supeitei desde o princípio!!! Tá aí a crítica da série quando disse para fazermos uma roda de esperança para a atualização não demorar.

http://omestredahq.com.br/critica-la-casa-de-papel-o-maior-assalto-da-historia-da-netflix/

Eu chutei 4 meses, nem demorou tanto.

Lembrando que a série já acabou, que foi feita lá na Espanha e o último ep saiu lá em novembro. Então, essa não vai ser mais uma série para você viciar e morrer de tédio no hiatus.

É uma ótima série, recomendo.

Com rotorista contratada, filme solo de Viúva Negra finalmente vai acontecer!!

Filme solo de Viúva Negra vai acontecer!

Como se os fãs da Marvel já não tivessem o que comemorar, 2018 chegou com uma novidade incrível . Hoje foi confirmado que o filme solo de Viúva Negra vai acontecer!

O filme não tem data ainda, já que o universo cinematográfico da Marvel já está cotado até 2019 com o 4° filme dos Vingadores, onde a Heroína estará presente (esperamos), mas, já tem roteirista contratada, a Jac Schaeffer que escreveu Blacklist, uma série maravilhosa diga-se de passagem.

A personagem que foi criada a quase 60 anos e foi de vilã a heroína, está presente em quase todos os filmes dos vingadores desde 2010, é muito querida dos fãs e desde sua aparição em Homem de Ferro 2 (2010) os fãs pedem um filme solo para ela.

2018, estamos te amando! Não estrague tudo.

 

Fonte: https://www.thewrap.com/jac-schaeffer-marvel-black-widow-movie/

[Crítica] – La Casa de Papel – ” O maior assalto da história da Netflix! ”

La Casa de Papel é uma série ‘’Original da Netflix ‘’ que na verdade é ou era da Antena 3, um canal espanhol. Chegou na Netflix no fim de dezembro de 2017 e é sobre  a organização de um assalto a casa da moeda da Espanha! O que acontece na casa da moeda? Se faz dinheiro, então é o plano mais louco e bem organizado que eu já vi em uma série.

Quando Li, achei que fosse um ‘’Assalto ao banco central’’ da Europa, mas é muito mais planejado que isso, o que te condiciona a sempre achar que está tudo seguindo perfeitamente, e é aí que te prende, você não sabe que está programado, você se desespera desde o 1° episódio e fica nesse looping eterno, sem ter certeza do que está calculado ou não, é viciante.

Toda a história é narrada sob o ponto de vista de uma personagem, Tóquio, mas todos os personagens têm um pedaço muito importante a ser explorado, fazendo um grupo gigantesco de personagens principais, o que é maravilhoso. Os episódios contam tudo ao mesmo tempo, não é um episódio para cada personagem, o que faz a levada dos mesmos ser muito boa, respondendo e fazendo novas indagações o tempo todo. Os atores são muito bons, o que pode fazer você torcer para que os assaltantes consigam tudo, como você que viu Narcos e queria que o Patrão sobrevivesse mesmo sabendo que ele morreu a mil anos atrás.

A série tem 15 episódios e foi dividida em 2 temporadas, do 1° ao 9° episódio e do 10° ao 15° episódio. Na Netflix a 1° temporada foi estendida para 13 episódios, acredito que para igualar o tempo desses 9 episódios. Na Espanha o último episódio passou em novembro de 2017. Conclusão: A Espanha sabe o final e o resto do mundo não.

VEJA! Vale muito a pena! Você ainda pode ter esperança de o intervalo entre as temporadas acontecer como na Espanha (quase 4 meses), assim você não espera tanto para ver o final, e eu tô nessa vibe.

DICA: No YouTube tem muita coisa da 2° temporada, se você não gosta de spoiler, não vai lá.

Lembre- se: A internet e obscura e cheia de spoilers.

[Crítica] Bright – O novo filme da Netflix.

Bright é um filme da Netflix que estreou no dia 22 de dezembro, filme que foi fortemente divulgado por ser dirigido por David Ayer e estrelado por Will Smith. Os personagens que levam o nome do filme, são seres que podem comandar uma varinha mágica, e essa varinha pode fazer tudo, absolutamente tudo. O filme se passa e Los Angeles, em um mundo dividido por espécies, e essas espécies carregam preconceitos entre si, e seus territórios são divididos.

É o mundo de hoje com outros olhos, existem orcs, humanos, fadas, elfos…

O filme fica focado em dois policiais que dividem o mesmo carro, porque o Ward (Will Smith) não quer o Jakoby (Joel Edgerton) como parceiro por ser um Orc, o primeiro Orc da história a ser policial. Aparentemente, houve uma guerra com o Senhor das Trevas, onde ele foi derrotado e sociedade foi dividida como está, mas em todo o decorrer do filme, existem mensagens falando sobre ele e sobre a sua possível volta.

A ideia do filme em si é muito boa, porque no meio disso existe o povo do mal que quer a volta do tal Senhor das Trevas e os sensatos que entendem que um ser com esse nome deve ficar aonde está, mas é tudo muito raso. Sabe quando você fala uma frase para alguém complementar? Quando você joga uma referência e alguém completa? Parece que o filme precisa de um complemento, que ele foi feito como uma introdução para algo.

O filme leva o nome de um tipo de personagem que não foi explorado adequadamente, levanta questões e histórias que não foram devidamente contatas, só mencionadas, dá aquela sensação de ‘’termina aqui, que tá confuso.’’ Antes da estreia, já foi confirmada a sua continuação. O filme é um sucesso, teve cerca de 11 milhões de espectadores dos primeiros 3 dias de sua estreia nos EUA.

Eu achei bom, mas podia ser melhor se focasse mais nessa questão da guerra e das cenas de ação, do que os diálogos gigantescos que não trouxeram muito conteúdo obrigatório para o entendimento do filme. Se tudo fosse desenvolvido com mais calma, nem precisaria de um outro filme, só esse seria suficiente. Tempo teve, mas são escolhas da direção do filme, então, pra mim é bom, e só.

O QUE ESTÁ ACONTECENDO COM THE WALKING DEAD ?

Oi pessoinhas! Tudo certo? Comigo nem tanto, e antes que essa conversa fique desconfortável por você não saber lidar com a minha sinceridade, eu explico … O QUE ESTÁ ACONTECENDO COM THE WALKING DEAD? E antes que comece o ‘’mimimi, calada sua hater’’.Eu sou muito fã, e é a única série que estou acompanhando certinho no momento, então, não é crítica vazia, é bem duro chegar a essa pergunta.

Hoje faz uma semana que a série entrou no hiatus com o episódio 8 da 8º temporada, e só depois desse tempo pude escrever exatamente o que está passando pela minha cabeça. Se você não viu o episódio, ou não foi acertado por spoiler nas redes sociais até esse momento, primeiramente, meus parabéns, guerreiro! Esse texto vai ter spoiler…

A audiência da série não é mais a mesma, tendo uma queda significativa nessa temporada, o que pode não significar nada, pois ainda é o show mais assistido, porém, é uma observação a ser feita. A 8° temporada está muito confusa, não tem como ter uma noção clara do tempo em que as coisas acontecem e de suas consequências exatas. Diálogos do 1º episódio que foram deixados no esquecimento retornam do nada, sem a menor necessidade.

A impressão que dá, é que como as coisas foram muito intensas na 7° temporada, a porradaria está presente, mas os diálogos e trechos lúdicos também estão, dando uma impressão de leveza que poderia ser melhor aproveitada se a linha temporal estivesse mais objetivada. Em suma, é uma boa temporada, que se tivesse a mesma pegada do arco do governador, mais fluído, seria muito melhor. (Saudades do Governador <3).

A 7º temporada teve uma reclamação dos fãs que também são fãs da HQ, a falta que sentiram das histórias do Carl (Chander Riggs) com o Negan (Jeffrey Dean Morgan), o que é bem significativo na história dos personagens, e afeta outros personagens no decorrer da história, surgindo teorias de que o Daryl (Norman Reedus) iria ter essa função, contar essa parte da trama e coisas do tipo, mas, ninguém esperada um desfecho como o da midseason finale, onde Carl é mordido por um Walker. Muita especulação é levantada sobre isso, como muitas teorias:

– Carl mordido por um dos sussurradores, um grupo dos quadrinhos que entra nesse arco.

– Carl sendo a cura (No estilo Guerra Mundial Z)

– A ferida não afetando a corrente sanguínea. (QUE?)

– Ser pegadinha tipo o Glenn (Steven Yeun) morrendo antes de morrer mesmo e sermos todos tapeados.

– Pedido de demissão do Ator.

O que temos de fato é uma entrevista onde o  próprio Chander informou que seu personagem morrerá mesmo.

‘’ Sim, Carl vai morrer. Não tem jeito dele sair dessa. Sua história definitivamente está chegando ao fim. Eu não esperava que o Carl sequer fosse morrer em algum momento. Mas resultará em um bom propósito para a história. Há ainda um pouco mais a ser contado da história de Carl – no episódio nove – e isso impacta Rick, Michonne e todo mundo. Apesar da história de Carl está chegando ao fim, ela ainda não acabou.  ‘’ Chander Riggs-  The Hollywood Reporter.

Além disso, ele cortou o cabelo…

Logo após o episódio acabar, o produtor já disse que seria definitivo…

”Aquela é uma mordida em um lado dele. Este é um momento muito solene, e eu estou tentando não soar… vai acontecer como as mordidas funcionam na série. Eu acho que a razão pela qual eu passo levemente por esse momento é que… vai funcionar exatamente como as mordidas funcionam” Scott M. Gimple – Talking Dead.

Não podemos chegar a nenhuma conclusão, pois eu sinceramente não quero aceitar a morte do menino Carl Poppa antes de ver isso claramente na tela, mas também não quero negar que isso pode acontecer, ou podemos ser feitos de palhaços. Independente do que acontecer, vai ser dolorido, pois o Andrew Lincoln (Rick Grimes) já disse que precisamos nos preparar.

“O começo da outra metade desta temporada é o episódio mais doloroso de que participei” – Andrew Lincoln – The Hollywood Reporter.

O que vocês estão achando da 8º temporada? Deixem aí nos comentários e compartilhem com seus amigos. Agora, só nos resta esperar.

Anima Mundi 2017 | Verdadeiras obras de arte visual

Esse ano o maior festival de animação do país completa 25 anos!

O Anima Mundi acompanhou o crescimento dos curtas de animação de todos os gêneros no Brasil, sendo reconhecido internacionalmente e trazendo as novidades do cenário mundial pra quem não teria acesso a eles.

Esse ano, o festival acontecerá nos seguintes lugares e datas:

– Rio de Janeiro – 14 a 23 de Julho / São Paulo – 26 a 30 de Julho.

O festival contará com produções de 45 países, 470 títulos, contando com os especiais comemorativos dos 25 anos da sua existência. Acontecerá no Centro Cultural Banco do Brasil no Rio e em São Paulo, mas tem uma liste imensa de lugares que você pode acompanhar no site.

Deixaremos o link no fim.

Além dos curtas, o festival conta com atrações presenciais para as crianças e adultos que ficam encantados com a mágica acontecendo na sua frente! Desde desenhar, conhecer estandes, profissionais da animação, até produzir sua própria animação, é bem divertido.

Há alguns anos, levamos meu irmão no seu aniversário, e ele ficou realmente encantado com as animações que ele criou com massinhas de modelar que foram fotografadas e animadas no computador em questão de minutos.

No dia 07/07 aconteceu a cabine de imprensa do Anima Mundi, onde pudemos dar exclusivamente uma espiada em algumas das animações que serão apresentadas no evento, abaixo tem minha primeira impressão feat um pseudo spoiler de algumas:

As categorias competitivas:

-Curtas:

Sob o Véu da Vida Oceânica: Foi a animação mais engraçada de todas! Completamente BR, onde um animal marinho que tem 6 minutos de vida conta sobre toda essa imensidão de tempo que ele tem pra viver. Na verdade, é uma crítica por andarmos sempre tão apressados, com a morte está sempre nos ameaçando e as vezes não nos damos conta de que precisamos viver, que 6 min ou 100 anos, a vida tem que valer a pena.

Sub-Humanos: Tipo The Walking Dead animado misturado com o programa do Datena! Um repórter vai obter informações no meio um apocalipse zumbi!! Tem uma pitada de Bruxa de Blair porque tem um câmera filmando, e acompanhamos tudo da visão dele, é sensacional.

Espaço Negativo: Um homem conta sua relação com seu pai, como ela foi construída e como isso afeta seu dia. É bem sensível e tocante.

Sobre uma Mãe: O mais emocionante de todos, e também o mais simples, na minha humilde opinião, pois era em preto e branco, sem falas e sem grandes gráficos. Era a história da figura da mãe, da grande necessidade dela e dos sacrifícios diários que ela faz por seus filhos.

Macaco Albino – Pimenta: Sabe quando você vai comer e sente falta de alguma coisa, tipo: Sal, gosto, PIMENTA? Então, tudo tem que ser com moderação, pra não causar desastes, se é que vocês me entendem. Sem falas e super inteligente.

Curta infantil:

Caçadores de Estrelas: Um jovem vai com seu telescópio ver as estrelas em uma floresta, onde tem um caçador que quer outras coisas, e um monte de animais…

O passarinho e a lagarta: Um passarinho cuida das folhinhas da sua árvore e do nada uma lagarta come uma de suas folhas, daí, e um corre corre pra lagarta não comer as outras. É bem bonito.

– Convidados:

Pai e Filha: O mais simples e com maior catarse, quase chorei! Parecem rabiscos no papel e é tão cheio de movimento e significado. É uma relação de pai e filha cheia de ausência e fidelidade.

Gorillaz: é o clip da banda, feito pra realidade virtual! Olha aí um pedaço.
Link do video : https://www.youtube.com/watch?v=5qJp6xlKEug

Sessão Petrobras:

Como lidar com a morte: A morte vem buscar uma senhora que mais parecia mãe do Jackie Chan e sabe muito bem lidar com ela.

São verdadeiras obras de arte visual!

Se estiver no Rio e em São Paulo, não perca!

Site Oficial:

http://www.animamundi.com.br/pt/anima-mundi-brasil/

Facebook:

https://www.facebook.com/festivalanimamundi/

Twitter:

https://twitter.com/Anima_Mundi

Beijos na testa psicológicos.

Entrevista – Capa Comics | Geek & Game Rio Festival 2017

Entrevista – Capa Comics | Por Beatriz Fonseca

Entrevistei João Carpalhau, criador da Capa Comics, que hoje tem mais de 20 pessoas na sua produção. A Capa Comics Surgiu de uma iniciativa de moradores da Baixada Fluminense, Rio de Janeiro, que cresceram com o sonho de fazer histórias em quadrinhos no Brasil, mas seguiram rumos diferentes, trabalhavam em jornais locais. Houve uma vazamento químico em Caxias, Baixada Fluminense – RJ, e surgiu a urgência por reportagens, João pensou : ‘’ Se estivéssemos em Nova York, isso virava um quadrinho, mas porque Nova York? Arte é Arte em todos os lugares.’’

A diferença da Capa Comics é a sua fidelidade as origens do seu território, onde o ‘’tênis fica pendurado do fio do poste’’, mostrar que mesmo sem precisar ir pra fora do País, um quadrinho pode fazer sucesso, não cobrando muito, pois a realidade da Baixada Fluminense é dura, mas levando cultura, isso que importa.

Mesmo não sendo convidados para eventos grandes, criaram o seu próprio evento de divulgação, a Gibizeira, que foi um grande sucesso.

Sobre o objetivo do Capa, João diz : ‘’ ’Levar quadrinho Brasileiro pro mundo, fugir da padronização que o mercado busca, trazendo uma identificação regional para os moradores da Baixada Fluminense, que é um celeiro de cultura não encontrada, mostrar nossa identidade.’’ Chamo de Reafirmação, sua última frase na Entrevista foi : ‘’É FAZER ARTE, NÃO FAZER PRODUTO!’’


Contatos :

http://capacomics.com/
https://www.facebook.com/CapaComics/
https://www.facebook.com/carpalhau?fref=ts

 

Próximos eventos do Capa Comics :

– Gibizeira – 9 a 12 de Maio / Pier Mauá – Rio de Janeiro
– Gibizeira – 20/05 – O Velho Mestre – Cervejas Especiais – Caixas/RJ.